Zelensky diz que acordos de paz devem incluir mecanismo de garantia de segurança para a Ucrânia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou neste sábado, 16, que os acordos de paz para acabar com a guerra devem incluir, além de um pacto bilateral entre Kiev e Moscou, “mecanismos de garantia de segurança” para a Ucrânia. “Acredito que podem ser dois documentos diferentes: um de garantias de segurança dos países que estão prontos para fornecer essa ajuda e um documento separado com a Rússia“, declarou Zelensky à mídia ucraniana em resposta a uma pergunta sobre o documento final. Segundo a agência de notícias ucraniana “Ukrinform”, o chefe de Estado citou o Reino Unido, os Estados Unidos, a Itália e a Turquia como os países que se mostraram dispostos a assinar o acordo.

O Presidente observou que a Rússia gostaria de ter um acordo que abrangesse todas as questões. No entanto, nem todos os países que poderiam ser garantidores da segurança se veem na mesma mesa com a Federação Russa. “Para eles [os países aliados], as garantias de segurança para a Ucrânia são uma questão e os acordos com a Rússia são outra questão. A Rússia quer que tudo esteja em um documento, mas as circunstâncias estão mudando, os formatos de acordos futuros estão mudando. Todos veem isso e querem cada vez menos ter acordos com a Rússia e mais acordos com a Ucrânia”, disse Zelensky.

De acordo com Zelensky, a primeira rodada de negociações sobre garantias de segurança será no formato de cinco (Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, França, Ucrânia), e depois outros países se juntarão. “Este é um processo vivo. Acho que teremos respostas de cinco ou sete países em uma semana, em dez dias. Teremos algumas especificidades, porque há perguntas difíceis nessas garantias, como o que queremos e o que eles estão dispostos a nos oferecer”, afirmou. O presidente também lembrou que “constantemente” a Ucrânia oferece a realização de uma reunião entre os líderes dos dois países. O lado russo, porém, insiste que encontros entre os presidentes da Ucrânia e da Rússia só serão possíveis quando os acordos finais forem alcançados em todos os pontos. “Sou a favor de uma reunião o mais rápido possível com a Rússia, [porque eu] não acho que será apenas uma reunião. Não acho que possamos nos encontrar uma vez e concordar em tudo, porque há muitos problemas”, disse Zelensky.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe