Violência contra cristãos na Índia em 2021 foi a maior da história, aponta organização

Cristãs fazem orações durante a missa de Natal na Catedral de Chennai, na Índia| Foto: EFE/EPA/IDREES MOHAMMED

Um relatório divulgado esta semana pela United Christian
Forum (UCF), organização cristã interdenominacional que atua em nome dos
direitos da minoria cristã da Índia, apontou que a violência contra cristãos no
país atingiu patamares inéditos em 2021.

Segundo o estudo, ao qual o site UCA News e a Agência Fides
(órgão de informação das Pontifícias Obras Missionárias) tiveram acesso, foram
486 registros de violência contra cristãos durante o ano passado, superando o
recorde anterior, de 328 incidentes, que havia sido verificado em 2019. A UCF destacou
que os ataques também foram mais disseminados do que os ocorridos em anos
anteriores, com registros em 20 estados e dois territórios da união.

Desde 2014, os números da violência contra cristãos na Índia
crescem ano a ano. A exceção foi 2020, ano em que teve início a pandemia de
Covid-19, quando houve queda nos registros; no entanto, voltaram a crescer no
ano seguinte.

Confira o número de casos ano a ano:

  • 2014: 127 registros
  • 2015: 142 registros
  • 2016: 226 registros
  • 2017: 248 registros
  • 2018: 292 registros
  • 2019: 328 registros
  • 2020: 279 registros
  • 2021: 486 registros

“Em quase todos os incidentes relatados em toda a Índia,
milícias compostas por extremistas religiosos invadiram reuniões de oração ou
prenderam indivíduos que acreditavam estar envolvidos em conversões religiosas
forçadas”, apontou o relatório, que destacou que a impunidade agrava o
problema: queixas formais foram registradas pela polícia em apenas 34 dos 486
casos de 2021. A UCF interveio pela libertação de 210 cristãos presos.

“O clima de ódio que se espalha através de certas ações e
discursos de alguns grupos e a falsa propaganda sobre supostas conversões
fraudulentas parecem incitar elementos antissociais à prática de atos
violentos. A promulgação de leis em nome da liberdade religiosa agrava a
situação. Não seria exagero dizer que esses eventos são atos bem orquestrados e
planejados por alguns grupos com o objetivo de dividir o país com base em
questões religiosas”, afirmou o líder da UCF, AC Michael, à Agência Fides. Os
cristãos representam 2,3% da população indiana.

Estados indianos têm promulgado leis que proíbem a conversão
religiosa: Carnataca, no sul da Índia, onde foram registrados 59 incidentes de
violência contra cristãos, se tornou no final do ano o décimo estado a aprovar
uma lei nesse sentido.

A violência se intensifica na época do Natal. Os dados da
UCF indicam que mais de cem incidentes foram registrados apenas nos últimos
dois meses do ano.

No dia seguinte ao Natal, uma estátua de Jesus Cristo foi destruída e a igreja vandalizada na cidade de Ambala, no estado de Harianá, norte do país. Em Agra, no estado de Utar Pradexe, extremistas queimaram imagens do Papai Noel que estavam em frente a escolas missionárias e acusaram os missionários cristãos de usar as celebrações natalinas para atrair as pessoas, noticiou o jornal britânico The Guardian.

Fonte: Gazeta do Povo
Podcast O Papo É com Guilherme Fiuza e Rodrigo Constantino – Gazeta do Povo