Veja 7 dicas para evitar Alzheimer e outros tipos de demência

*Este texto foi escrito com base em informações de agências e autoridades sanitárias, hospitais e especialistas em saúde. Para uma melhor orientação sobre a adoção de práticas que podem interferir na sua saúde, procure um médico.

Um estudo realizado nos Estado Unidos mostrou que um estilo de vida saudável é capaz de reduzir o risco de desenvolver demências, como o Alzheimer, mesmo em pessoas com predisposição genética.

Os pesquisadores elencaram sete fatores de risco e atribuíram uma pontuação de 0 a 14 para cada um dos 11 mil participantes. Eles também avaliaram o genoma dos voluntários em busca de fatores de risco.

Pesquisadores acompanharam 11 mil participantes para identificar hábitos saudáveis (Fonte: Shutterstock)Fonte:  Shutterstock 

No período do estudo, mais de 2 mil deles desenvolveram algum tipo de demência. A maioria deles com um estilo de vida considerado menos saudável. Isso mostra que manter determinados hábitos pode combater doenças como o Alzheimer.

Veja abaixo as principais mudanças que podem contribuir para a prevenção dessas doenças.

1 – Controlar a pressão arterial

Um fator de risco muito importante para o desenvolvimento de doenças cardíacas e derrames, a pressão arterial deve ser controlada para ficar dentro das faixas saudáveis, geralmente abaixo de 12×8.

O valor ideal de cada pessoa varia. Ele pode ser descoberto junto do seu médico. Tirar medidas regulares, manter uma alimentação equilibrada, fazer exercícios, controlar o peso e dormir bem são atitudes que podem mantê-lo regulado por mais tempo.

2 – Controlar o colesterol

Outro fator que pode influenciar o surgimento de demência é o colesterol. Quando alto, esse lipídio contribui para a formação de placas que obstruem as veias e artérias, impedindo a circulação do sangue e irrigação sanguínea dos nossos órgãos, principalmente do cérebro.

Evitar alimentos muito gordurosos colabora para o controle do colesterolEvitar alimentos muito gordurosos colabora para o controle do colesterolFonte:  Shutterstock 

A melhor forma de evitar o problema é através de hábitos saudáveis de alimentação e de atividades físicas. Existem ingredientes e pratos ricos em colesterol bom para o nosso corpo, que devem ser prioridade sobre outros cheios da versão ruim desse nutriente.

3 – Controlar o açúcar no sangue

Outra fonte comum de problemas são os níveis de açúcar na corrente sanguínea. A glicose pode ser danosa para coração, rins, olhos e nervos, e por isso deve ser mantida em níveis controlados. Além disso, esse é um fator de risco para demência e diabetes.

Assim como nos casos anteriores, o cuidado com a dieta é fundamental. A maioria dos alimentos que consumimos são transformados em açúcares no corpo, e por isso é importante consumir apenas as quantidades ideais de nutriente por dia.

4 – Fazer atividades físicas

Uma vida ativa é capaz de ajudar a controlar todos os três primeiros fatores. A atividade física aumenta o metabolismo do nosso corpo e nos ajuda a aproveitar melhor os nutrientes que consumimos.

Atividades físicas são aliados na prevenção de diversas doençasAtividades físicas são aliados na prevenção de diversas doençasFonte:  Shutterstock 

Além disso, manter o nosso corpo em movimento ajuda a regular as funções de todos os órgãos. De bônus, previne o envelhecimento, aumenta a disposição e ajuda na saúde mental.

5 – Ter uma alimentação saudável

Assim como a prática de atividades físicas, a dieta é responsável em grande parte pelos três primeiros fatores de risco. Não se trata, aqui, de uma alimentação restritiva. Pelo contrário, os estudos indicam que o ideal é manter um cardápio balanceado e variado.

Também deve-se evitar excessos. Açúcar, sal e gorduras devem ser consumidos em poucas quantidades. A preferência deve ser dada para produtos frescos e não-processados, como verduras, legumes e grãos.

6 – Evitar obesidade e sobrepeso

A obesidade e o sobrepeso são fatores de risco tanto para problemas cardíacos quanto para doenças neurodegenerativas. mas não basta avaliar um paciente pelo peso ou pela aparência física.

O acúmulo de gordura e os níveis de açúcar que acompanham essa condição estão na raiz do problema. Eles devem ser aferidos através de exames e controlados através de orientação do especialista. Vale a pena lembrar que a magreza extrema também é um fator de risco para diversos problema de saúde.

7 – Evitar o cigarro

Fumantes têm maior risco de desenvolver uma série de doenças. A lista é longa, e pesquisas recentes tem demonstrado que mesmo cigarros eletrônicos são prejudiciais à saúde. Portanto, se você é fumante, abandonar o vício é a melhor atitude a ser tomada.

Cigarros eletrônicos, aind aque menos prejudiciais à saúde do que os cigarros tradicionais, podem representar risco de doençasCigarros eletrônicos, aind aque menos prejudiciais à saúde do que os cigarros tradicionais, podem representar risco de doençasFonte:  Shutterstock 

Isso pode ser feito com a ajuda de um médico e de grupos de apoio. É cada vez mais comum o número de pessoas que busca essa mudança de vida, e por mais difícil que o caminho possa parecer para um dependente, ela é possível.

Hábitos fáceis de controlar, como alimentação saudável e prática de exercícios podem ter impactos grandes na saúde humana. E, claro, largar o cigarro também é fundamental. Dando atenção a esses sete simples fatores é possível ficar livre do Alzheimer e outra demências, mesmo se a sua genética dica o contrário.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe