Veja 5 dicas para se tornar um astrônomo amador

Para muitas pessoas, a astronomia  — a ciência dos planetas, estrelas e de tudo o mais que existe no Universo em que vivemos  — representa um campo do saber restrito a profissionais e círculos acadêmicos aos quais não faria muito sentido, ao menos em primeiro olhar, falar de uma perspectiva amadora. Porém, a verdade é que em poucas áreas do conhecimento humano ser um amador expressa de forma tão perfeita a combinação entre paixão, hobby e utilidade, já que não são poucas as contribuições dadas pelos astrônomos amadores à comunidade profissional.

Por essa razão, reunimos aqui cinco dicas para guiar os primeiros passos dos entusiastas e interessados em tornarem-se astrônomos amadores!

1 – Antes de buscar um telescópio, conheça o básico!

A astronomia é uma das ciências que mais fascinam o público geral de todas as idades, desde criancinhas a até os idosos experientes. Ao ver uma foto colorida de alguma região brilhante do espaço, a primeira reação costuma ser “Uau! Que lindo!”, e a segunda “O que é isso?”. Por essa razão, antes de adentrar na aventura de buscar por um telescópio (que custa caro e não queremos deixar empoeirando no quarto), é bom conhecer o básico de astronomia.

Para isso, investir em livros é um excelente primeiro passo. Além dos guias específicos para aprender a observar o céu, livros introdutórios de astronomia são importantes para saber o básico sobre planetas, estrelas, galáxias e o universo de forma geral. Muitos livros de divulgação científica também costumam ser informativos e úteis!

Uma outra opção é recorrer ao conhecimento online. Diversos canais, perfis em redes e cursos introdutórios, inclusive gratuitos, estão disponíveis na internet para iniciar essa jornada. Se depois de aprender um pouco sobre astronomia você ainda continua interessado, estará pronto para seguir adiante!

Mulher usa telescópio dentro de uma bibliotecaFonte:  Alina Bitta/Shutterstock 

2 – Habitue-se a observar o céu noturno!

Entender o que está visível no céu noturno é fundamental para facilitar o processo de observar os objetos celestes nele. Por isso, aprender a disposição das constelações e de algumas das estrelas mais brilhantes – como Sirius, Rigel, Antares e Aldebaran –, aprender as fases da Lua, a identificação de planetas e sua diferença visual para estrelas, como os corpos celestes se movimentam no céu no decorrer da noite e ao longo do ano e como identificar fenômenos mais rápidos, como chuva de asteroides e a passagem de satélites artificiais, são dicas imprescindíveis para iniciantes na astronomia amadora.

Todas essas observações funcionam muito bem a olho nu e essa é uma melhores formas de criar intimidade com a observação do céu noturno! Porém, é importante buscar lugares escuros e os mais distantes possíveis da poluição luminosa para facilitar a visualização dos astros!

Vista do céu noturno no pico do Itapeva, em Pindamonhangaba (SP)Vista do céu noturno no pico do Itapeva, em Pindamonhangaba (SP)Fonte:  Luiz Felipe Marcondes/Shutterstock 

3 – Comece com um binóculo!

Além da observação a olho nu, olhar o céu com um binóculo adequado é um excelente passo inicial, porque, mais uma vez, telescópios costumam ser mais caros e exigem mais conhecimento na hora do manuseio. Por isso, o ideal é ter certeza do que queremos antes de fazer o investimento. Um binóculo também é um instrumento mais prático e fácil de ser levado para fora de casa, importante principalmente em pequenas viagens para lugares afastados de grandes cidades, onde o céu é menos poluído com luzes e os astros são mais facilmente identificados.

Um bom binóculo pode ser mais eficaz que um telescópio ruim e permitirá uma boa observação da superfície da Lua, alguns planetas do Sistema Solar e, a depender de qual ele seja e de onde esteja sendo feita a observação, até mesmo de alguns corpos mais distantes, como nebulosas e galáxias vizinhas.

Montagem mostra pessoas observando céu noturno com binóculosMontagem mostra pessoas observando céu noturno com binóculosFonte:  vchal/Shutterstock 

4 – Use aplicativos!

Algumas décadas atrás, era extremamente comum o uso de cartas celestes e mapas de observação para guiar a observação amadora na busca dos astros no céu. Hoje, isso ainda é fundamental, mas com a vantagem de termos agora mais tecnologia ao nosso favor. Diversos aplicativos para computador e smartphones, disponíveis para todos sistemas operacionais e muitos inclusive gratuitos, oferecem mapas e simuladores confiáveis para nos guiar na observação do céu. Alguns dos melhores são: Stellarium, Sky View, Carta Celeste e Sky Map.

Ilustração mostra mapa do céuIlustração mostra mapa do céuFonte:  Valedi/Shutterstock 

5 – Junte-se a grupos locais de astronomia amadora!

Muitos lugares, principalmente nas grandes cidades, possuem pequenos grupos de entusiastas e astrônomos amadores que trocam ideias e reúnem-se ocasionalmente para compartilhar experiências, auxiliar-se mutuamente e observar o céu em grupo. Para o iniciante na astronomia amadora, estar em contato com pessoas que compartilham desse interesse é fundamental para adquirir conhecimento e dar os primeiros passos na compra de materiais com segurança!

Grupo se reúne para observação do céu noturnoGrupo se reúne para observação do céu noturnoFonte:  Frame Stock Footage/Shutterstock 

Caso não exista um na região em que você mora, tente iniciar seu próprio grupo! Certamente irá achar algumas pessoas tão apaixonadas e interessadas pelo céu como você!

Veja a postagem original em: TecMundo