Vegetarianismo: conheça as diferentes dietas que valorizam as plantas

*Este texto foi escrito com base em informações de agências e autoridades sanitárias, hospitais e especialistas em saúde. Para uma melhor orientação sobre a adoção de uma nova dieta, procure por um médico ou um nutricionista.

Uma grande tendência dos últimos anos, o vegetarianismo tem ganhado cada vez mais adeptos. A dieta tem por princípio a redução do sofrimento dos animais e o combate a grandes monopólios pecuaristas, e por isso os adeptos deixam de consumir carne no dia a dia. Benefícios à saúde também pesam na hora de escolher uma dieta recheada de plantas.

Com a popularização, cada vez mais termos vêm surgindo, para designar os diferentes tipos de dieta vegetariana. Veganismo, ovolactovegetarianismo, flexitariano… ficou confuso? Entenda o que cada um dos termos significa.

A consciência da exploração animal tem aumentado a busca por dietas vegetarianas entre os brasileiros (Fonte: Pexels/Trinity Kubassek)Fonte:  Pexels 

Vegetariano

Ao pé da letra, um vegetariano é uma pessoa que não come carne ou alimentos derivados de animais. Isso inclui, portanto, leite, ovos e mel, por exemplo. O vegetarianismo rejeita qualquer comida que possa causar sofrimento ou que seja gerada pela exploração dos bichos.

Isso porque a produção intensiva desses derivados depende de condições extremas de criação. Galinhas, por exemplo, são confinadas em celas superlotadas e recebem uma alta carga de hormônios para crescer rápido e botar muitos ovos.

Com o leite não é diferente. As vacas também recebem injeções de hormônios e sofrem até manipulação genética para aumentar a produção. Uma pessoa também pode adotar o vegetarianismo por motivos religiosos.

Dietas vegetarianas eliminam o consumo diário de carne (Fonte: Pexels/Sebastian Coman Photography)Dietas vegetarianas eliminam o consumo diário de carne (Fonte: Pexels/Sebastian Coman Photography)Fonte:  Pexels 

Ovolactovegetariano

Na informalidade do dia a dia, um ovolactovegetariano pode se declarar como vegetariano — essas diferenças são mais importantes entre os adeptos da dieta. Essa dieta costuma ser vista como o primeiro passo na direção de um modelo de alimentação mais consciente.

Os ovolactos, como implica o nome, consomem ovos e derivados de leite, mas deixam de comer qualquer tipo de carne (vermelha, branca, peixes o frutos do mar). Por ser menos restritiva, atrai mais pessoas que estão preocupados com a exploração animal, mas que precisam de tempo para adaptação.

Flexitariano

O flexitarianismo é muito criticado pelos adeptos da filosofia de proteção animal e, ao pé da letra, não pode ser considerada uma dieta vegetariana. Mas a verdade é que essas pessoas são as que mais impactam o consumo de carne aqui no Brasil, e é inegável sua importância.

O grupo dos flexitarianos inclui qualquer pessoa que não deixa de consumir carne, mas reduz a ingestão desses alimentos. Quem busca essa dieta tem consciência dos problemas que a exploração animal causa e quer fazer a sua parte.

São essas pessoas que movimentam também o mercado e a busca, cada vez maior, por produtos livres de crueldade animal, e demandam mudanças por parte das empresas e dos produtos.

Crudívoro e frutívoro

Duas categorias mais radicais, os crudívoros e frutívoros são vegetarianos que também estão preocupados com outras questões. Em geral, eles buscam tirar o máximo do que a natureza pode ofertar, e acreditam que é possível ter saúde com o básico.

Um crudívoro admite apenas a ingestão de alimentos crus — que não podem ser aquecidos acima de 40º C —, refinados, pasteurizados ou processados. Eles também rejeitam o uso de pesticidas. Por outro lado, alguns admitem a ingestão de peixe cru e ovos.

Os adeptos acreditam que durante o preparo, enzimas importantes para a dieta são eliminadas e o alimento perde poder nutricional. Mas, para adotar essa alimentação é fundamental o acompanhamento de um nutricionista.

Um frutívoro se alimenta exclusivamente de frutas (Fonte: Pexels/Trang Doan)Um frutívoro se alimenta exclusivamente de frutas (Fonte: Pexels/Trang Doan)Fonte:  Pexels 

O mesmo vale para os frutívoros, que se alimentam exclusivamente de frutos — a classificação inclui alguns legumes e oleaginosos. Essa alimentação radical busca variar o máximo possível o consumo e aproveitar bem todos os nutrientes que a natureza oferece.

Vegano

O veganismo não é uma dieta como as anteriores. Um vegano é uma pessoa que adota uma filosofia de vida que prega contra a exploração animal em todos os âmbitos, para além da alimentação.

Inclui, portanto, uma dieta vegetariana restrita, mas elimina ainda o uso de outros produtos, como roupas e acessórios de couro, lã ou seda e produtos testados em animais, por exemplo.

Nos últimos anos, a ideologia tem ganhado cada vez mais adeptos e o mercado tem respondido positivamente a essa tendência. A cada diz surgem novos produtos que alegam não fazer uso de animais, que são procurados até por consumidores que não adotam a filosofia, mas que são conscientes do problema.

O vegetarianismo tem ganhado o gosto dos brasileiros, e se engana quem pensa que é um grande sacrifício adotar essas dietas. Existem muitos pratos feitos a partir de legumes, verduras e frutas variadas deliciosos em diversas culinárias, como a italiana, árabe ou indiana. Além disso, a riqueza e diversidade de alimentos traz benefícios para a saúde — tanto a humana quanto a animal.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe