União Europeia aprova lei para carregador universal em celulares e outros aparelhos

As empresas terão até o outono de 2024 para se enquadrar nas novas regras

Com a missão de diminuir o lixo eletrônico na Europa, a União Europeia (UE) aprovou uma lei no dia 07/06 que determina que as empresas produtoras de celulares, tablets e outros aparelhos eletrônicos portáteis deverão padronizar a entrada dos carregadores em todos os países que fazem parte do bloco econômico e político. 

A mudança vinha sendo discutida há bastante tempo, mas a proposta legislativa foi apresentada apenas em setembro de 2021, e o acordo só foi aprovado neste ano. 

O objetivo é que a partir do outono de 2024 os aparelhos eletrônicos portáteis lançados por todas as marcas comecem a ser carregados apenas com o padrão de entrada USB-C universal, pois acredita-se que isso reduzirá a produção de lixo eletrônico com o passar do tempo. 

Além disso, os consumidores poderão escolher na hora da compra se querem ou não que o produto acompanhe o carregador, pois grande parte das marcas vende separadamente hoje em dia. 

Uma parte da nota divulgada diz: “Chegamos a um acordo sobre um carregador em comum! Tablets, celulares, e-readers, câmeras digitais, fones de ouvido e outros deverão utilizar a tecnologia do tipo USB-C, independentemente da fabricação.” 

Notebooks também terão que seguir o mesmo critério, porém, as fabricantes terão um prazo maior para realizar as mudanças necessárias. 

Google mostra novo recurso para liberar até 60% em seu Smartphone: Confira  

Benefício aos consumidores 

Além da possível diminuição do lixo, a medida também deve beneficiar o consumidor final, que poderá utilizar o mesmo carregador em diferentes aparelhos portáteis, pois ela acabará com a necessidade de se comprar cabos diferentes para cada um deles. 

Falando em economia, os especialistas da UE calculam que os habitantes dos países do bloco economizarão até 250 milhões de euros por ano, e que isso representará cerca 11 mil toneladas de lixo a menos anualmente no meio ambiente. 

Outro ponto é que os consumidores provavelmente terão mais liberdade de escolha, escolher entre o carregador mais potente, o mais barato, etc., sem se preocupar com a compatibilidade. 

Apple era contrária a medida 

A Apple se mostrou contra a proposta da União Europeia em 2020 por acreditar que isso poderá desacelerar a inovação de novas tecnologias e até mesmo gerar mais lixo e poluição. 

Apesar da oposição, a gigante do ramo de tecnologia terá que mudar a porta Lightning do iPhone, que é um dos celulares mais utilizados pelas pessoas dos países-membros da UE, que conta com uma população com cerca de 450 milhões de pessoas. 

Inicialmente, isso pode impactar no faturamento da empresa, que possui uma entrada com padrão único e vende os carregadores separadamente. 

Leia também: Confira as diferenças entre o Tesla fabricado na Alemanha e o Tesla fabricado na China 

Aparelhos Android 

Enquanto a lei pode ter um grande impacto inicial para a Apple, ela não afetará grande parte das principais fabricantes de smartphones Android do mundo, pois os celulares da marca Xiaomi, Samsung, Motorola, e boa parte das outras grandes marcas, já utilizam o padrão USB-C. 

O que muda no Brasil? 

No Brasil a medida não muda nada, tendo em vista que ela é válida apenas para os membros da União Europeia. Por aqui e nos países que não fazem parte do bloco os critérios de carregamento continuarão por conta das próprias fabricantes. 

Porém, é provável que se a medida surtir efeito, a tendência é de que outros locais criem regras semelhantes.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

Veja a postagem de horigem em: Engenharia Hoje

Compartilhe