Tratamento com bactérias inativadas reduz risco de infecção urinária

Um novo tratamento à base de bactérias inativadas pode reduzir drasticamente o risco de infecção urinária em mulheres. A terapia promete resolver em três meses o problema de pacientes recorrentes desse mal.

Apesar do uso diário, o medicamento consiste em um novo tipo de vacina. As bactérias inativadas geram uma imunidade que se transfere da mucosa da boca para outras regiões do corpo.

Novo tratamento à base de bactéria inativadas pode prevenir infecção urinária recorrente (Fonte: Shutterstock)Fonte:  Shutterstock 

A pesquisa foi realizada com 240 voluntárias da Espanha e do Reino Unido. A administração diária do candidato a fármaco durante três meses manteve mais da metade das mulheres longe das UTIs por um ano inteiro – muito mais que o placebo usado na pesquisa.

Outro grupo fez uso das bactérias inativadas por seis meses. Entretanto, o prolongamento não mostrou ganhos de resultados consideráveis. Foram apenas 2% a mais de pessoas favorecidas.

Apesar de ser consumido por via oral todos os dias durante o tempo do tratamento, o novo remédio é um tipo de vacina. O contato com as bactérias inativadas permite que o corpo dos pacientes crie imunidade contra elas – que posteriormente é transferida para outras mucosas.

Assim, a terapia garante proteção, principalmente, à bexiga. J. Curtis Nickel, coautor do estudo, diz à Reuters Health: “É como um processo de vacinação muito lento, porém extremamente seguro e eficaz.”

Entre 5 e 10% das mulheres no mundo sofrem de infecção urinária de maneira recorrente, e existe um gargalo dos serviços de saúde para atender essas pessoas. A vacinação pode ser uma nova saída barata e eficiente do problema.

ARTIGO NEJM Evidence: doi.org/10.1056/EVIDoa2100018

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe