Temer diz que mandato de Moraes trará ‘tranquilidade’ às eleições

O ex-presidente Michel Temer compareceu nesta sexta-feira, 27, na Fecomércio, em São Paulo, para debater o tema da governabilidade e os principais desafios do Brasil a partir de 2021. Um dos principais quadros do MDB, o político comentou a possibilidade de Simone Tebet (MDB), representante da terceira via, ganhar as eleições deste ano. “Eles estão dialogando o município, e política se faz dialogando. Aliás, o diálogo é fundamental para todos, mesmo quando você é governo, você tem que dialogar com os Poderes. A Constituição determina, por exemplo, a harmonia entre eles. E como é que você consegue isso? Através do diálogo”, opinou Temer. Reconhecido como um dos maiores articuladores políticos nos bastidores, Temer já a ser convocado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) para tentar apaziguar a sua relação com o ministro Alexandre de Moraes, que foi um dos magistrados indicados pelo ex-presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Durante coletiva de imprensa, Temer comentou o que espera do mandato de de Moraes à frente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante as eleições deste ano. “O Alexandre é um jurista, né? Ele vai aplicar rigorosamente o sistema normativo, como tem feito ao longo do tempo. Eu não tenho nenhuma preocupação com isso e acho que em nenhum brasileiro deve se preocupar. Eu tenho absoluta convicção que o ministro Alexandre não sairá um milímetro do sistema normativo. Então nós teremos tranquilidade. Aliás, a presença dele lá pode revelar uma tranquilidade para as eleições, para mantê-las limpas, corretas e adequadas”, defendeu. Temer ainda comentou também aquele texto que foi divulgado pelo presidente Bolsonaro nas redes sociais em que ele citava o nome do emedebista como um possível candidato da terceira via. O ex-presidente brincou e disse que pode ser uma “saudade”. “Você que sabe que todas as vezes que as pessoas vem e dizem: ‘Ah, você talvez possa ser a terceira via’, eu entendo aquilo como um reconhecimento, ao meu ver, do meu governo. Um reconhecimento muito entusiasmado até, né? Eu sempre imaginei, quando o presidente, muito tempo depois viria o reconhecimento, mas ele veio com uma rapidez extraordinária”, comemora. Questionado sobre quem teria o seu candidato ao governo de São Paulo, ele foi bem sucinto: vai apoiar quem o MDB mandar.

*Com informações do repórter João Vitor Rocha


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe