Telescópio James Webb chega a temperatura super gelada para funcionar

Na última quarta-feira (14), a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (NASA) anunciou que o Telescópio Espacial James Webb atingiu uma temperatura super gelada como preparação para realizar observações no espaço profundo. O instrumento conquistou uma temperatura final 6,4 kelvins, cerca de 266 graus negativos.

De acordo com as informações, o Instrumento Infravermelho Médio (MIRI) do telescópio, desenvolvido em conjunto com a Agência Espacial Europeia, atingiu a temperatura no dia 7 de abril. As equipes de tecnologia atingiram o marco de “ponto de pinça” quando o equipamento esfriou para abaixo de 7 kelvins — eles usaram um criorefrigerador elétrico para atingir o estado ideal.

A temperatura precisa ser baixa por conta dos instrumentos do James Web, que detectam e emitem luz infravermelha. O resfriamento também é importante para suprimir as emissões infravermelhas do próprio telescópio e, assim, ele pode funcionar apenas como um detector.

O telescópio é uma homenagem ao segundo administrado da NASA, James Edwin WebbFonte:  NASA 

Além disso, os equipamentos precisam ser resfriados para suprimir a corrente escura, uma corrente elétrica criada pela vibração dos átomos nos detectores e que pode emitir falsos sinais de uma fonte externa.

Em busca do espaço profundo

“A capacidade do MIRI de detectar comprimentos de onda infravermelhos mais longos também o torna mais sensível à corrente escura, por isso precisa ser mais frio do que os outros instrumentos para remover totalmente esse efeito. Para cada grau que a temperatura do instrumento aumenta, a corrente escura aumenta por um fator de cerca de 10, segundo comunicado oficial da NASA.

O James Webb é um telescópio espacial com o objetivo de captar radiação infravermelha, observar a formação das primeiras galáxias, estrelas e entender o processo de formação dos planetas, além de captar imagens em alta resolução. O equipamento foi enviado ao espaço no dia 25 de dezembro de 2021.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe