Deputado federal Daniel Silveira passou a noite na Câmara para não colocar tornozeleira eletrônica.| Foto: Plinio Xavier/Câmara dos Deputados

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, marcou o julgamento da ação penal contra o deputado federal Daniel Silveira (União-RJ) para o dia 20 de abril. O parlamentar é acusado de ter proferido ameaças ao Supremo e a seus membros por meio de redes sociais. A definição da data acontece no mesmo dia em que o parlamentar desacatou uma decisão do ministro Alexandre de Moraes e passou a noite na Câmara para não colocar tornozeleira eletrônica.

Mais tarde o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), criticou o que ele chamou de “uso midiático” das dependências da Câmara, mas salientou que local é inviolável e que ele é o “guardião da sua inviolabilidade”. “Não vamos cair na armadilha de tensionar o debate para dar palanque aos que buscam holofotes”, declarou Lira.