Seu cão é bagunceiro? Motivo pode ser personalidade, e não raça do cachorro

Uma grande pesquisa publicada na revista Science, tenta elucidar se o comportamento dos cães realmente está ligado aos genes da raça do cachorro. Mas ao contrário do que se possa pensar, os resultados mostram que apenas 25% dessas características comportamentais são hereditárias.

Quando adotamos ou compramos um cão, temos tendência a escolher o animal pelas características da raça, seja pelo comportamento, personalidade ou aparência. Acreditamos que uma raça possa ser mais carinhosa, mais brincalhona ou mesmo mais protetora. No entanto, de acordo com um estudo realizado por Kathleen Morrill, aluna de pós-graduação da Universidade de Massachusetts, Estados Unidos, e sua equipe, as características comportamentais podem não estar diretamente ligadas às raças.

Personalidade dos cachorros tem maior influência sobre comportamento do que a raça, diz estudoFonte:  Shutterstock 

A maior pesquisa já realizada na área coletou dados através da Darwin’s Ark, um banco de dados próprio do laboratório, e contou com a participação de 18.385 donos de cães, que responderam uma pesquisa com mais de 100 perguntas sobre seus animais, incluindo a raça, características físicas e comportamentais. Do total, 2.155 desses cães tiveram seu genoma completamente mapeado, para que se pudesse fazer a análise.

Outros estudos já haviam sido realizados nessa área, no entanto, os pesquisadores explicam que as amostragens eram realizadas de acordo com a análise do comportamento de grupos de cães, realizando uma média comportamental, mas no novo estudo, os cães foram analisados individualmente, fazendo comparativos entre cães da mesma raça, ou analisando se os cães vira-latas, correspondiam a padrões comportamentais da raça dominante na sua mistura genética.

O mapeamento genômico mostrou que 80% das características físicas dos animais são diretamente transmitidas de forma genética, mas em contrapartida, apenas 25% das características comportamentais são herdadas.

Sendo assim, muito do comportamento desses animais tem fatores ambientais, o que explicaria as diferenças de comportamento entre animais de uma mesma raça.  Ainda de acordo com o estudo, somente 9% das diferenças de personalidade entre filhotes está diretamente relacionada às suas raças.

Além desses achados, o mapeamento genético identificou 11 regiões no DNA dos cães ligados ao comportamento, que incluem do uivo à sociabilidade. No genoma humano, essas regiões estão ligadas à linguagem e à memória de longo prazo.

A expectativa de Morril e de seus colegas é de que a pesquisa seja uma nova forma de observar o comportamento e a personalidade dos cães, e auxiliar no desenvolvimento de tratamentos para condições neurológicas em animais e seres humanos.

ARTIGO Science: doi.org/10.1126/science.abk0639

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe