Senador defende que prazo para uso de R$ 1,8 bilhão no turismo seja ampliado até 2024

O senador Carlos Portinho (PL-RJ) defende a necessidade de atualização do Fundo Geral de Turismo (Fungetur). Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, nesta quinta-feira, 2, o parlamentar falou sobre o Projeto de Lei 2.380/2021, aprovado no Senado Federal e que busca aumentar os recursos ao setor turístico e facilitar o acesso dos empreendedores ao Fundo. “Foi verificado uma necessidade de atualização, não só com relação a suas fontes, mas tornar mais acessível e sedutor ao mercado do turismo buscar esses recursos disponíveis, que são para financiamento de atividades”, afirma Carlos Portinho, que defende taxas “mais vantajosas” para empréstimos destinados ao segmento. “São R$ 1,8 bilhões não utilizados. Precisamos melhorar as taxas cobradas, ampliar o crédito a todo setor de turismo. Isso se torna muito importante nesse pós-pandemia, porque sabemos que o turismo é uma das nossas principais indústrias”, completou.

Relator da matéria no Senado, Carlos Portinho explicou que R$ 5 bilhões foram destinados pelo governo federal para o Fungetur em 2020, como medida para mitigar os efeitos da pandemia de Covid-19 e garantir investimentos e ampliação do setor. No entanto, cerca de R$ 1,8 bilhão não foram utilizados e seriam devolvidos ao Tesouro Nacional, realidade que pode ser mudada com a atualização proposta pelo PL  2.380/2021, que amplia o período para utilização dos recursos até 2024. A proposta foi encaminhada de volta à Câmara dos Deputados. “Veio a pandemia e o turismo, assim como o setor da cultura e eventos, foi o mais afetado. Foi o primeiro a fechar e o último a abrir, mas agora vai ser retomada, o setor está aquecido. É o que a gente espera, está acontecendo em todo o mundo. Imagina, o dono de uma pousada que queria fazer uma ampliação no meio da pandemia? Ele pensou dez vezes e resolveu não fazer”, afirmou o senador, que vê a destinação terá “bom propósito” para a retomada do setor.

“Temos que divulgar melhor o nosso turismo, temos que divulgar o que é positivo. É serra, parque, trilha, esportes dos mais variados, então deve ser divulgado e o fundo serve para isso”, iniciou Portinho, defendendo uma melhor divulgação e capacitação do turismo brasileiro. “No meu Estado, o Rio de Janeiro, são várias preciosidades que atraem muitos turistas, a gente deve se promover mais lá fora. Os parques e os profissionais de turismo têm a possibilidade de buscar um crédito, que a gente espera que com melhores taxas do que praticadas antes. O Fungetur vem resgatar para que os agentes possam buscar recursos não só para comprar infraestrutura, carros e vans para passeios, mas também capacitá-los, com aulas de inglês e outros cursos. Isso é importante, porque o turista merece ser muito bem recebido no nosso país.”


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe