SAJ: Artistas tocam meia hora em São João de SAJ e recebem cachê cheio

Parece que em Santo Antônio de Jesus, na atual gestão, cumprir contrato não é pré-requisito para receber pagamento. Foi exatamente o que ocorreu com as bandas de Tiago Aquino e Barões da Pisadinha nos festejos juninos de 2022.
Cidadãos reclamaram nas redes sociais que os cantores Thiago Aquino chegou com aproximadamente duas horas de atraso, começou a tocar já de manhã, totalmente fora do seu horário e no limite do horário de atuação da polícia. O show durou menos de 30 minutos, mas mesmo assim a prefeitura pagou o valor integral do cachê cachê: exatos 280 mil.

Ainda pontuaram que outra banda que tocou apenas 30 minutos e também foi contemplada com o pagamento do cachê integral de 250 mil, a banda Barões da Pisadnha. Estranhamente, nenhuma das duas atrações foi multada ou recebeu valor parcial.

Há poucos dias a secretária de cultura, Silvia Brito, informou em entrevista que estava analisando o caso. Parece que nem depois da tal análise, a gestão conseguiu evitar a ilegalidade e porque não dizer: a imoralidade, e os cachês foram pagos. Enquanto 2 bandas levam mais de meio milhão de reais por 1h de show, os músicos locais, quem nem receberam os 50% do seus cachês antecipadamente, penam para receber pela prestação dos serviços.

A população segue cobrando explicações, uma vez que o dinheiro sai dos cofres públicos municipais e que deve obedecer os princípios da legalidade, da moralidade. Vereadores da oposição também estão atentos e o Ministério Público deverá ser acionado.

Compartilhe