Rússia condena banimento de atletas do país do torneio de Wimbledon

O governo inglês anunciou nesta quarta-feira, 20, o banimento de tenistas russos e belarussos na edição deste ano de Wimbledon, que começa no dia 27 de junho. A medida é uma retaliação à Rússia pela invasão na Ucrânia, que acontece desde o fim de fevereiro, e se estende a Belarus pelo apoio ao país vizinho. Imediatamente após a repercussão da notícia, o porta-voz da presidência da Rússia, Dmitry Peskov, criticou a decisão. “É inadmissível converter, uma vez mais, os atletas em reféns das intrigas e preconceitos políticos, de ações hostis contra nosso país”, afirmou o representante do Kremlin, em entrevista coletiva diária.

Peskov afirmou que “levando em conta que a Rússia é um país muito forte no tênis, com sua marginalização, perderão as próprias competições”. Atualmente, Daniil Medvedev é o número 2 da ranking mundial masculino, e Andrey Rublev também integra o ‘top-10’, ocupando a oitava colocação. Entre as mulheres, Anastasia Pavlyuchenkova é a atual número 15 do mundo. Assim, Wimbledon se tornou a primeira grande competição esportiva a vetar a participação de atletas individuais da Rússia, depois do banimento de competições coletivas, como a Copa do Mundo de futebol, e torneios de tênis como a Copa Davis e a Billie Jean King Cup.

*Com informações da Agência EFE


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe