Prefeitura de São Paulo pagou ‘showmício’ de Daniela Mercury em manifestação pró-Lula

A Prefeitura de São Paulo pagou R$ 100 mil pelo show da cantora Daniela Mercury em manifestação pró-Lula no último domingo, 1º, na praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu, em São Paulo. O extrato do contrato foi publicado em edição desta terça-feira, 3, do Diário Oficial do Município. O ato, convocado por seis centrais sindicais para celebrar o Dia do Trabalhador, contou com a participação do ex-presidente Lula (PT) e teve tom crítico ao atual governo de Jair Bolsonaro (PL). A cerca de três quilômetros dali, na Avenida Paulista, apoiadores de Bolsonaro foram às ruas em defesa da liberdade de expressão, uma espécie de desagravo ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 8 anos e 9 meses de prisão por ataques às instituições e aos ministros da Corte.

Durante seu pronunciamento, Lula subiu aos palcos e ressaltou que não pode falar da eleição, o que poderia ser interpretado como ato antecipado de campanha e punido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em sua apresentação, Daniela Mercury, porém, ergueu uma bandeira vermelha com uma foto do petista e pediu votos em Lula, violando regras do TSE. Segundo a Lei Eleitoral, “é proibida a realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos, bem como a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral”, assim como é vedado o pedido de votos explícito antes de 6 de agosto. A reportagem entrou em contato com a prefeitura de São Paulo e a assessoria da cantora, mas ainda não obteve posicionamento.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe