Polícia prende responsáveis por ameaçar Cássio e outros jogadores do Corinthians

A Polícia Civil de São Paulo localizou quatro dos sete envolvidos nas ameaças de morte aos jogadores e ao presidente do Corinthians. De acordo com o Dr. César Saad, delegado do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE), dois prestaram depoimento e foram liberados, enquanto os outros dois estão prestes a chegar na delegacia para ser detidos. Dos presos, um deles é o dono do perfil no Instagram “Sheik Caçador”, responsável por intimidar o goleiro Cássio e sua esposa. Ainda segundo o delegado, a Polícia Civil vai entrar em contato com a Federação Paulista de Futebol (FPF) para proibir imediatamente a entrada dos criminosos em estádios de futebol. As informações foram confirmadas pelo repórter Caíque Silva, da Jovem Pan.

Cássio recebeu as ameaças por meio do personal trainer de sua esposa, na última quinta-feira. Através de fotos e vídeos, um perfil identificado como “Sheik Caçador” exigiu a saída do goleiro. “Ou esse vagabundo pede para sair, ou a coisa vai ficar mais embaixo. Pode mostrar, pode mostrar essa porr*. Esse é o recado que ‘nóis’ tá dando. É questão de tempo. Não sei o que a gente vai fazer, matar eu não sei, mas vamos achar e esculachar. E pode dizer que estamos fechados com o português (o técnico Vítor Pereira), entendeu? Não com vagabundo paneleiro. O recado vale para todos”, diz o áudio. Em uma das imagens, também aparecem um revólver e balas em cima de uma camisa do Corinthians.

Imediatamente, o clube do Parque São Jorge repudiou o ato criminoso e disse que decidiu acionar a Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DRADE). “Esperamos que as autoridades consigam identificar o autor desse crime e que ele seja submetido às penas da lei”, disse o Corinthians em nota. “O atleta de futebol é um ser humano que tem direito tanto à integridade física quando à saúde psicológica”, acrescentou. Já nesta sexta-feira, a assessoria de comunicação do Alvinegro afirmou que o presidente Duílio Monteiro Alves e outros atletas, como zagueiro Gil, o meio-campista Paulinho e os atacante Jô e Willian também foram ameaçados.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe