Open banking pode incluir 4,6 milhões de pessoas no mercado de crédito, diz Serasa

Um estudo da Serasa Experian revela que o open banking, ou o sistema financeiro aberto, pode incluir 4,6 milhões de pessoas no mercado de crédito e injetar R$ 760 bilhões na economia. O open banking facilita o compartilhamento de informações entre as instituições, fazendo com que o cliente tenha controle e escolha a instituição que oferece as melhores condições. No levantamento, os dados do open banking aliados com o Serasa Score podem beneficiar a população tanto na inclusão quanto na ampliação do acesso ao crédito mais assertivo. A pesquisa aponta um aumento de 49% na estimativa da capacidade de pagamento mensal da população, passando de R$ 929 por mês para R$ 1.391. Com isso, os consumidores podem ter acesso a um recurso financeiro de acordo com o seu perfil, uma vez que as instituições que concedem o crédito passam a ter mais segurança a partir das informações detalhadas do sistema.

É o que explica head de open banking da Serasa Experience, Leonardo Henrique: “Esta instituição financeira, com essas informações, vai ter uma possibilidade de conseguir, mediante um excelente processo de categorização, conseguir identificar qual é a renda e a capacidade de pagamento daquele consumidor” diz. Para o economista da Serasa Experience, Luiz Rabi, a concessão de crédito pode ajudar as pessoas com a quitação de dívidas básicas, como por exemplo água e luz. E quanto maior a oferta de concessão de crédito, mais positivo para economia, pois incentiva a elevação do consumo da população. “Seria possível os bancos e as demais instituições financeiras ampliarem a sua oferta de crédito, crédito com qualidade, mantendo o mesmo risco, até reduzindo o risco de inadimplência”, explica.

A pesquisa Impactos Econômicos Open Banking foi realizado pela Serasa Experience em março de 2022 e analisou uma amostra representativa de consumidores inscritos no cadastro positivo em todas as regiões brasileiras. A análise também considerou apenas pessoas com até 500 pontos de score, ou seja, faixa em que são classificadas como pagadoras regulares.

*Com informações do repórter Victor Moraes


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe