Offshore brasileiro: Brasil é lançador oficial nesse mercado: confira

A Ocean Winds Brasil (OW) foi oficialmente lançada no Brasil para atender à demanda de fabricação de energia eólica. Para tanto, o sistema offshore autorizará cinco projetos que vão gerar um consumo mais limpo e de fácil acesso. 

Entretanto, a nova empresa trará oportunidades para um atendimento eficaz no setor de energia elétrica. Visto que, com o alto consumo de eletricidade, alguns estados brasileiros serão beneficiados com a novidade.

Confira: Motocicleta com painel solar e Bluetooth feita de madeira

Sendo assim, criamos este guia para explicar sobre a nova atividade e como o Brasil poderá ter vantagens com a produção da energia eólica. Além disso, saiba quanto poderá ser gerado com o sistema offshore. 

O que é o mercado offshore?

Offshore é um nome dado às empresas ou contas bancárias abertas em uma região onde existem menos tributação de impostos. Além disso, essa modalidade representa os interesses de um país em um território internacional. 

Com isso, essas empresas podem aproveitar os benefícios gerados pela ausência de impostos, entretanto, não significa que estejam agindo fora da lei. Contudo, os donos dessas instituições vivem fora da área de atuação. 

Por outro lado, a OW Brasil tem a proposta de gerar financiamentos para o país, pois, oferece segurança e privacidade nas transações comerciais. Logo, esse modelo empresarial não atua de forma ilícita ou comete crimes. 

Leia também: Fiat Fastback depois de pronto, veja como o carro vai ficar

Qual a importância da OW Brasil?

A OW Brasil quer gerar até 700 GW de energia eólica em nosso país. Desde 2020, a companhia criou os projetos eólicos para atender o Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Entretanto, a OW está aguardando a autorização ambiental do Ibama para fazer os seguintes projetos:

  • Vento Tupi, para gerar 1 GW;
  • Maral, para 2 GW;
  • Ventos do Atlântico, com 5 GW;
  • Tramandaí offshore, 700 MW;
  • Ventos do Sul, 6,5 GW.

Além disso, a companhia quer criar projetos para proporcionar uma segurança melhor para a fabricação de energia no Brasil. Dessa forma, pretende desenvolver uma fonte renovável e competitiva para beneficiar a população.

Confira: Avião movido a hidrogênio, veja a data de teste pela Airbus

Veja a postagem de horigem em: Engenharia Hoje

Compartilhe