O que é sensibilidade à cafeína e como saber se você tem?

*Este texto foi escrito com base em artigos científicos, informações de agências e autoridades sanitárias, hospitais e especialistas em saúde. Para uma melhor orientação sobre o consumo de qualquer substância, procure um médico ou um nutricionista.

O café é uma das bebidas mais consumidas no mundo, e nós brasileiros damos qualquer desculpa para tomar nosso cafezinho. Mas e quando apenas uma xícara já causa um alvoroço no nosso organismo?

Tremores, nervosismo, aumento da ansiedade, dores de cabeça, insônia. A princípio você pode pensar que todos esses sintomas se devem ao consumo excessivo de café, mas na verdade, eles podem estar ligados a outra condição: a sensibilidade à cafeína.

Diferentemente da alergia à cafeína, que é um quadro raro, a sensibilidade a esse composto presente em diversas plantas pode causar uma hiperestimulação do sistema nervoso central, levando aos sintomas indesejados, mesmo quando consumido em pequenas quantidades.

Saiba como a cafeína atua no nosso organismo, quais alimentos evitar e como descobrir se você é sensível à cafeína.

Cafeína só é encontrada no café?

Graças ao seu nome podemos fazer uma correlação errada, achando que a cafeína está presente apenas no café, mas na verdade esse composto químico está presente em diversas outras plantas.

Chá mate, cacau e guaraná são apenas alguns dos exemplos de plantas que possuem o composto. Além da forma natural, a cafeína também pode estar presente nos produtos industrializados, como medicamentos, chocolates e refrigerantes.

Chás, chocolates, refrigerantes e bebidas energéticas também contém cafeína.Fonte:  Shutterstock 

Como a cafeína age no nosso organismo?

Explicando de uma forma simples, a cafeína atua estimulando nosso sistema nervoso central (SNC), dando a sensação de bem-estar e diminuindo sintomas de cansaço e sono, nos deixando mais alertas e enérgicos.

Após uma xícara de café, dependendo do metabolismo do organismo, os sinais de ação da cafeína começam a ser notados depois de 30 minutos, e mantêm o efeito por mais ou menos 3 horas.

Mas para algumas pessoas, uns poucos goles de café, um pedaço de chocolate, ou uma xícara de chá, já são suficientes para que haja um aumento da ansiedade, palpitações e tremores. Mas por que isso acontece?

O que é sensibilidade à cafeína?

A sensibilidade à cafeína pode ser desencadeada por fatores genéticos e metabólicos, e não é o mesmo que alergia. A alergia é uma condição rara, e pode causar problemas graves de saúde, como coceira e erupções na pele, e em casos mais agudos, choque anafilático.

Pessoas sensíveis à cafeína podem experimentar sintomas mais acentuados, mesmo com pequenas doses, como por exemplo, alguns goles em uma xícara de café, chá ou um pedaço de chocolate com maior concentração de cacau.

São comuns os sintomas como:

  • Aumento de ansiedade;
  • Palpitações;
  • Taquicardia;
  • Tremores;
  • Insônia;
  • Nervosismo.

Esses sintomas estão ligados à hiperestimulação do SNC, o metabolismo da cafeína no nosso organismo, e em como nosso corpo lida com a liberação de hormônios como a adrenalina, por exemplo. Quanto mais demorado for o metabolismo da cafeína no fígado, maior é o tempo que esses sintomas levarão para passar.

Quão sensível eu sou, e o que fazer?

De acordo com a Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora de saúde americana, a quantidade de cafeína segura para ser consumida diariamente, gira em torno de 200 miligramas até 400 miligramas por dia, quantidade equivalente a 2 xícaras de 250 mililitros.

Cafeína em excesso pode causar danos a saúde.Cafeína em excesso pode causar danos a saúde.Fonte:  Shutterstock 

Essa quantidade normalmente não desencadeia os sintomas acima descritos, mas o consumo exato de cafeína consumido diariamente é algo difícil de mensurar, já que vários fatores estão relacionados.

A concentração do café ou do chá, consumo de chocolates ou refrigerantes, principalmente os que utilizam cola ou guaraná, assim como energéticos que podemos consumir ao longo do dia, dificultam o cálculo.

Infelizmente ainda não há um exame específico para saber o quão tolerante ou intolerante uma pessoa é à cafeína, mas algumas medidas simples podem te auxiliar a descobrir se você é sensível ou não a esse composto.

Ler rótulos e tentar perceber se há alguma alteração no seu humor ou sensações físicas após a ingesta de algum alimento, bebida ou medicação, é uma das medidas que pode lhe auxiliar nessa caminhada.

Caso você note uma alteração significativa, mesmo com pequenas quantidades, o ideal é que você evite produtos com cafeína, substituindo-os por sucos naturais, chás de frutas, ou carboidratos que também irão lhe proporcionar energia.

Você também pode melhorar a qualidade do sono e da alimentação, praticar exercícios físicos, e caso faça questão de tomar café, existem as opções descafeinadas.

A retirada total da cafeína de modo abrupto da sua dieta não é aconselhada, pois podem ocorrer episódios de abstinência. Para a realização dessa mudança de hábito faça substituições graduais, e converse com seu médico.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe