Nova fábrica do Butantan promete 100 milhões de doses de vacinas por ano

Na última sexta-feira (25), o Instituto Butantan anunciou a entrega da obra civil do Centro de Produção Multipropósito de Vacinas (CPMV), a nova fábrica de vacinas que promete produzir mais de 100 milhões de doses por ano. Segundo o presidente do instituto, Dimas Covas, a fábrica permitirá que o Brasil se torne autossuficiente em relação às vacinas da covid-19, zika, hepatite A, entre outras.

Em breve, o Brasil produzirá o Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) em escala industrial e, por exemplo, poderá produzir a CoronaVac diretamente na fábrica. A CPMV foi construída com multipropósito, por isso, a estrutura do prédio foi criada para adequar o desenvolvimento de diferentes vacinas.

Instalações do CPMVFonte:  Instituto Butantan 

“O Butantan procura a autossuficiência de IFA para todo seu portfólio de vacinas, não somente para a CoronaVac. Já somos autossuficientes em relação à vacina da gripe e seguimos agora o mesmo caminho para todas as demais vacinas. Com a autossuficiência queremos atender plenamente o Brasil e começar a enviar vacina para o mundo e para quem mais precisa”, disse Covas.

Totalmente automatizada

A fábrica foi construída no parque fabril do Butantan, oferece 11 mil m² e está alinhada aos conceitos da Indústria 4.0, ou seja, é totalmente automatizada. Contudo, isso não quer dizer que a CPMV é somente operada por robôs, a previsão é que até 150 pessoas trabalhem no centro.

O espaço da fábrica foi otimizado para reduzir custos de energia e melhorar a ocupação dos espaçosO espaço da fábrica foi otimizado para reduzir custos de energia e melhorar a ocupação dos espaçosFonte:  Instituto Butantan 

Além disso, a fábrica possui nível de biossegurança 3 para permitir a manipulação de vírus selvagem, porém, sem nenhuma chance de vazamento — inclusive, a CPMV é uma das únicas dedicadas às vacinas humanas com essa categoria de certificação.

A fábrica está em processo de instalação dos diversos equipamentos farmacêuticos até julho de 2022 e, até fevereiro de 2023, o local passará por certificação, qualificação e automação. Ou seja, ainda demorará algum tempo até o centro iniciar o funcionamento.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe