Ministro da Justiça rechaça ‘desencontro de informações’ e afirma que ‘caso está sendo esclarecido’

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, participou de uma reunião na Comissão de Direitos Humanos na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 15, e alegou que o caso do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e Dom Phillips está próximo de ser esclarecido. “Apesar de toda a dificuldade, desde o primeiro momento o Estado brasileiro está no local, está tratando da questão da busca por essas pessoas. Não é a toa que, nos parece, que o caso está esclarecido. A deputada me diz que há um desencontro de informações. Não vou falar pois está em andamento e a cargo da Polícia Federal as investigações”, alegou o chefe da pasta. O governista também ressaltou que há muita dificuldade em atuar na região e que recentemente se encontrou com a embaixadora do Reino Unido no país para tratar sobre o assunto.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro (PL) alegou que o caso dos desaparecidos no Amazonas “será desvendado nas próximas horas”. “Eu espero que nas próximas horas o episódio do desaparecimento de dois cidadãos na Amazônia seja efetivamente esclarecido. Tudo indica isso. A gente lamenta o desaparecimento. Um inglês e um brasileiro que sabiam do perigo da região. E, pelo que tudo indica, será desvendado esse desaparecimento. Desde o primeiro dia, a nossa Marinha estava em campo. Estão me culpando agora por isso”, alegou o chefe do Executivo. Nesta quarta-feira, 15, o segundo suspeito de envolvimento com o desaparecimento da dupla, Oseney da Costa de Oliveira – conhecido como Dos Santos – foi preso de maneira preventiva. O primeiro suspeito, Amarildo da Costa de Oliveira – apelidado de ‘Pelado’ – havia sido preso na noite da última quarta-feira.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe