Ministério da Saúde diz que sistemas foram reintegrados

Na segunda-feira (10), exatamente um mês após os ataques hacker que os desestabilizaram, os sistemas de dados do Ministério da Saúde voltaram a se integrar, segundo um comunicado emitido pela pasta. De acordo com o ministério, os sistemas já haviam sido restabelecidos, de forma separada, no dia 23 de dezembro, mas a integração entre eles só ocorreu agora.

Entre os sistemas afetados, estavam diversas plataformas vitais para o acompanhamento da pandemia do coronavírus, como o ConecteSUS (que emite os certificados de vacinação), o próprio Painel Coronavírus, com dados estatísticos sobre a pandemia, o Open DataSUS, que compila as informações epidemiológicas dos estados, além do sistema E-SUS Notifica, que agrega todas as informações de diagnósticos e mortes pela covid-19.

A nota oficial do Ministério da Saúde afirma “que a integração entre os sistemas locais e a rede nacional de dados foi restabelecida na última sexta-feira (7). Desde então, as informações inseridas pelos estados e municípios nos sistemas estão retornando gradualmente às plataformas nacionais, possibilitando que os dados de saúde possam ser acessados por todos os usuários”.

O que dizem os especialistas de dados?

Fonte: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Reprodução.Fonte:  Marcelo Camargo/Agência Brasil 

Embora a pasta minimize os impactos do apagão de um mês nos dados nacionais sobre a covid-19, especialistas de dados afirmam que ainda pode levar tempo para que as estatísticas sobre a pandemia voltem ao normal. Para o coordenador da Rede Análise Covid-19, Isaac Schrarstzhaupt, “Supondo que [os sistemas] voltem mesmo, por exemplo, hoje, há o problema das notificações atrasadas que irão represar e se misturar com as notificações novas”.

Para complicar ainda mais, afirma o gerente de TI, a perda do contato, e do controle, do início de uma nova onda da doença, fez com que as decisões não fossem tomadas em tempo hábil. Para ele, serão necessários pelo menos 30 dias para que as estatísticas sejam normalizadas.

Até mesmo o Supremo Tribunal Federal (STF) expressou sua preocupação com o restabelecimento dos sistemas de atualização dos boletins epidemiológicos. Para o decano da corte, ministro Gilmar Mendes, “há semanas os Estados e Municípios enfrentam dificuldades em informar os casos de contaminação e de internação. O #ApagaoNaSaude inviabiliza o enfrentamento da pandemia”.

Veja a postagem original em: TecMundo