Mais de 60% das declarações do IR têm imposto a receber, diz Receita Federal

A Receita Federal recebeu até a última terça-feira, 31, mais declarações de Imposto de Renda (IR) do que o previsto. Mais de 60% das declarações entregues têm impostos a receber, e o número inclui quem caiu na malha fina em anos anteriores e fez a retificação em 2022. José Carlos Fernandes da Fonseca, supervisor nacional do Programa do IR, explica que entre os principais motivos para o número de declarações ser superior ao previsto estão a não atualização da tabela do IR, um número maior de pessoas operando em bolsa de valores, o envio de declarações retificadoras, que corrigem alguma informação enviada anteriormente, e o fortalecimento do mercado de trabalho.

“A retomada da economia, com a volta do emprego, tem gente que ficou desempregada em função da Covid-19 e voltou a ter emprego no ano passado, e voltou a novamente a apresentar a declaração do imposto de renda, também é um dos fatores que pode ter elevado um pouco o número de declarações”, afirmou Fonseca. De acordo com o balanço divulgado pela Receita, até agora, a previsão é pagar R$ 24,7 bilhões em restituições a contribuintes.

O secretário especial da Receita Federal, Júlio César Vieira Gomes, destacou que o processo está cada vez mais eficiente. Além de o contribuinte ter acesso ao extrato de processamento com pendências para ajustes antes da fase de intimação, as inovações tecnológicas garantem mais agilidade. “Uma delas é a consolidação da declaração pré-preenchida. A declaração pré-preenchida tem uma série de facilidade em que os nossos números, as nossas informações, são levadas até a declaração do contribuinte. E isso é um ganho enorme, não só em ganho de tempo, de comodidade, mas também traz uma segurança muito grande, porque diminui as chances de erro. Nós tivemos feedbacks muito positivos”, declara Gomes.

Outro destaque é o uso do PIX para pagamentos de tributos e restituição e ainda o reforço da multiplataforma com a declaração podendo ser feita no site ou por aplicativo. Ainda assim, o programa da Receita se mantém à frente dos demais canais, com 90% das entregas. Quem estiver obrigado a entregar a declaração e não o fez até o fim do prazo, na última terça-feira, 31, está sujeito a multa de 1% ao mês sobre o valor do imposto de renda devido, limitado a 20% do valor do imposto de renda.

*Com informações da repórter Katiuscia Sotomayor


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe