lula - bolsonaro - marielle
“Para beneficiar as pessoas que tem carro, que não são a maioria, o presidente vai jogar o peso da culpa em toda a sociedade brasileira”, declarou Lula durante entrevista para rádio.| Foto: Divulgação/RICARDO STUCKERT/PT

O ex-presidente Lula afirmou que a mudança na alíquota do ICMS
não vai reduzir o preço dos combustíveis e que Bolsonaro deveria ter coragem
para mudar a política de preços da Petrobras. As declarações foram feitas na
manhã desta quarta-feira (8), em entrevista para a “Rádio Vale do Aço – Itatiaia”,
de Minas Gerais.

“O aumento da gasolina ao preço internacional não foi feito
com uma votação no Congresso. Foi uma canetada do Pedro Parente (ex-presidente
da Petrobras). Portanto se para aumentar o preço do combustível e transformar o
preço do combustível no Brasil a um preço internacional foi numa canetada, para
você tirar também pode ser numa canetada. O presidente (Bolsonaro) se tivesse coragem,
se não fosse um fanfarrão, ele já teria feito isso. Mas ele aproveita todas as
coisas que acontecem para criar um caso. Ele quer jogar a culpa nos
governadores”, afirmou Lula.

“E veja o que vai acontece. Ao mexer no ICMS, os municípios
vão perder dinheiro. E os municípios perdendo dinheiro, a educação vai perder
dinheiro, a saúde vai perder dinheiro. (…) Para beneficiar as pessoas que tem
carro, que não são a maioria, o presidente vai jogar o peso da culpa em toda a
sociedade brasileira. Quando ele diz que vai fazer compensação, ele vai fazer
compensação até dezembro. Depois de dezembro eu quero saber quem é que vai
arcar com a falta de arrecadação dos municípios”, disse Lula.

“Vocês vão ver que toda essa briga da redução do ICMS não vai resultar na bomba nem no botijão de gás e nem no diesel, aquilo que ele (Bolsonaro) está criando de expectativa. Ele faria muito mais simples se tivesse coragem de chamar a Petrobras e dizer que é preciso parar. A mesma caneta que assinou para que a gente internacionalizasse o preço, pode tomar a decisão de não internacionalizar. Acontece que ele (Bolsonaro) está com o rabo preso com as empresas que importam gasolina e não pode mudar”, disse o petista.