Lula desembarca em Minas Gerais para tentar solucionar impasse envolvendo o PSD

O ex-presidente Lula, pré-candidato do PT à Presidência da República, desembarcou nesta segunda-feira, 9, em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. A visita é de extrema importância para o petista, que ainda não tem palanque no Estado — o segundo maior colégio eleitoral do país, atrás apenas de São Paulo. A intenção de Lula era indicar o deputado federal Reginaldo Lopes, pré-candidato do PT e líder da sigla na Câmara dos Deputados, ao Senado Federal na chapa de Alexandre Kalil (PSD), ex-prefeito de BH que renunciou ao cargo para disputar o governo. O mineiro, por outro lado, já declarou diversas vezes que o seu candidato à Casa é o senador suplente Alexandre Silveira, que assumiu o mandato após o então senador Antonio Anastasia ser aprovado para o Tribunal de Contas da União (TCU). Sobraria ao PT, então, a vaga de vice-governador. O problema é que Kalil já ofereceu o posto ao deputado estadual Agostinho Patrus, que trocou o PV pelo PSD recentemente. Interlocutores do ex-prefeito afirmaram à Jovem Pan que, para o ex-prefeito, a presença de Patrus na chapa é “inegociável”.

A possibilidade de uma chapa pura do PSD em Minas é rechaçada pelo Partido dos Trabalhadores. Neste momento, um acordo parece distante, o que preocupa a campanha de Lula. Em solo mineiro, uma das agendas do ex-presidente deve ser um encontro com Kalil, mas, de acordo com a assessoria de imprensa do ex-prefeito da capital, não há uma agenda marcada até o momento. A articulação envolvendo o partido presidido por Gilberto Kassab é importante, porque o dirigente partidário agora dá sinais de que liberará a sigla para que cada um dos diretórios decida qual caminho será trilhado na campanha – inicialmente, o ex-prefeito de São Paulo afirmava que os pessedistas teriam candidatura própria ao Palácio do Planalto. Enquanto não desata o nó envolvendo Kassab, Kalil, Silveira e companhia, Lula se encontrou, nesta segunda, com lideranças do PV, PSOL, PCdoB, Rede, Solidariedade e PSB, que já formalizaram apoio nacional à sua postulação.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe