João Roma destaca investimentos do governo federal no esporte paralímpico: “Políticas continuarão sendo aprimoradas”

O ministro da Cidadania, João Roma, destacou na noite desta terça-feira (24), em entrevista à Voz do Brasil, os investimentos do governo federal no esporte paralímpico. Ao comentar sobre a abertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, nesta terça, o ministro ressaltou que a seleção paralímpica conta com R$ 117 milhões em investimentos federais diretos via Bolsa Atleta.

De acordo com dados do Ministério da Cidadania, esse é o valor repassado historicamente, desde 2005, a 226 esportistas (95,7% da delegação) do grupo de 236 titulares da delegação nacional presentes na capital japonesa. Entre os jogos do Rio de Janeiro, em 2016, e agora no Japão, o investimento foi de R$ 75 milhões.

“O objetivo é proporcionar às pessoas a prática do esporte como ferramenta de inclusão, educação e socialização. No esporte paralímpico de alto rendimento, o Brasil já é uma potência”, disse o ministro, ao complementar também que o governo federal criou, no ano passado, a Secretaria Nacional do Paradesporto, cujo secretário José Antônio Guedes está em Tóquio para acompanhar a competição e também como treinador da equipe feminina do vôlei sentado.

Segundo Roma, 136 atletas recebem mensalmente entre R$ 5 mil e R$ 15 mil da Bolsa Atleta na categoria Pódio por terem resultados expressivos no cenário internacional e por estarem entre os 20 melhores do mundo em suas categorias. Em 15 das 20 modalidades em que o Brasil terá representantes, 100% dos atletas fazem parte do programa. Entre os bolsistas, 135 são homens (59,7%) e 91 são mulheres (40,3%).

“Da nossa parte reafirmo que as políticas públicas voltadas para o esporte tanto olímpico quanto paralímpico seguirão sendo aprimorados para que cada vez mais pessoas tenham acesso a prática esportiva e alimentem o sonho de competir nos jogos olímpicos e paralímpicos. Temos sim confiança de que nossos atletas farão a grande competição. Até aqui o Brasil soma 87 medalhas de ouro na história dos Jogos Paralímpicos. Resta portanto, 13 para 100 ouros paralímpicos. Só posso dizer que seria maravilhoso atingir essa marca no Japão”, afirmou.