Haddad sugere que Tarcísio tem modelo de segurança baseado na ‘junção da milicia com o tráfico’

O pré-candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT), conversou com jornalistas na manhã desta quinta-feira, 7, e acusou o também concorrente ao comando do Palácio dos Bandeirantes Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos) de “não entender nada sobre segurança pública” e basear seus conhecimentos sobre o tema nos moldes do crime organizado. “Ele deve defender as propostas de segurança pública do Bolsonaro, e as propostas de segurança pública [do presidente] são a junção da milícia com o tráfico”, alegou. O petista também ressaltou que Tarcísio, embora concorra ao governo de São Paulo, “nasceu e cresceu no Rio de Janeiro”. “Nunca morou em São Paulo, mora em Brasília há muitos anos, serviu a muitos governos e hoje se diz bolsonarista”, disse o ex-prefeito da capital paulista.

A fala do petista ocorre após o ex-ministro da Infraestrutura do governo Bolsonaro afirmar que o Estado de São Paulo “fez um pacto com o crime organizado de não combatê-lo”. “E por que se optou por não combater? Porque crime organizado dá efeito colateral, e ninguém quer o efeito colateral do combate ao crime”, argumentou Freitas. Ambos devem disputar o pleito ao cargo de governador de São Paulo. Na última pesquisa divulgada pelo Instituto Paraná Pesquisas, Haddad apareceu na liderança das intenções de voto para assumir o Palácio dos Bandeirantes, com 30,2%. Tarcísio, com 12,6% dos votos, ocupa a terceira colocação na preferência do eleitorado paulista.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe