Recentemente, o presidente francês Emmanuel Macron disse que sua estratégia é dificultar a vida de quem não se vacinou contra a Covid-19| Foto: EFE/EPA/STEPHANIE LECOCQ / POOL

A entrada em vigor de novas regras para comprovação de vacinação na França pode fazer com que 560 mil pessoas percam o status de completamente imunizadas no país.

O número consta de reportagem da Deutsche Welle sobre o tema. A partir deste sábado (15/01), quem foi vacinado há sete meses ou mais precisará tomar a dose de reforço para ser considerado completamente imunizado no país.

“A partir de 15 de janeiro de 2022, todas as pessoas com mais de 18 anos e um mês devem ter recebido a dose de reforço a tempo para manter o certificado de vacinação ativo”, informa o comunicado divulgado pelo Ministério da Saúde francês.

Recentemente, o Senado da França aprovou a lei que estabelece o passaporte de vacinação e exige que os cidadãos estejam completamente vacinados contra Covid-19 para ter acesso a maioria dos locais públicos, incluindo bares e restaurantes. O texto adotado pelo Senado exclui os menores de 18 anos da exigência.

O passaporte sanitário em vigor no país atualmente permite que os não vacinados apresentem um teste negativo para Covid-19 para acessar esses lugares, o que não será mais aceito.