Escalada dos combustíveis foi um dos principais impulsionadores da inflação em 2021

A escalada dos combustíveis foi um dos principais impulsionadores da inflação de dois dígitos no Brasil em 2021. Somente a gasolina registrou aumento superior a 50%. O diesel afeta diretamente o custo do transporte. E o reflexo é repassado ao consumidor. A briga por centavos no abastecimento é uma realidade, com cuidado para não colocar produto adulterado no tanque. O diesel terminou 2021 com um preço em estabilidade nos postos, na média R$ 5,60. Mas na comparação com dezembro de 2020, o combustível teve uma alta de 46%.

O empresário Ricardo Gazzola criou uma companhia para orientar grandes frotas sobre o melhor preço. “Trabalhei a vida inteira em logística, em empresas, transportadoras. E há dois anos eu empreendo no setor de combustível. Muito na linha, porque o combustível é o maior custo de transporte e transporte é o maior custo de logística”, diz. Ele avalia a oscilação mundial e os reflexos no Brasil: “2021 teve um aumento muito grande do combustível, assim como 2020 teve uma redução muito grande, tanto pela guerra de preço na Rússia quanto por causa da pandemia. E, no final, o Gazzola é uma plataforma que ajuda essas transportadoras a economizarem de 10 a 40 centavos por litro, independente dessa variação por litro. Na prática, esse aumento de combustível só mostra como cada centavo é importante a gente economizar. E isso acaba tendo impacto direto na inflação do país. Acho que, no momento em que as transportadoras, o principal ativo delas, o principal insumo, delas para executar a atividade aumenta, todo o custo da cadeia aumenta e isso é repassado para o consumidor final”.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos


Fonte: Jovem Pan