Eduardo Paes critica delegado preso por armar operações falsas contra ele: ‘Vagabundo’

Na manhã desta segunda-feira, 27, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), usou as redes sociais para criticar o delegado Maurício Demétrio Afonso Alves, preso sob acusação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) de tentar armar duas operações falsas contra ele nas eleições de 2020, com intenção de influenciar no resultado do pleito. “Mais um vagabundo travestido de ‘Estado’ e defensor da lei. O outro vocês já sabem quem é e foi mais bem sucedido em 2018. Esse não conseguiu. O outro era ‘brother’ do ex-juiz 171”, escreveu o prefeito no Twitter.

Nas publicações nas redes sociais, Paes ainda afirma que o ex-titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) estava envolvido em outros crimes contra o poder público. “Esse safado tinha a mulher nomeada na prefeitura do Bispo Crivela. E o casal ganhou muito dinheiro do povo carioca para financiar tanta safadeza. Foram R$ 319.925,37 pagos com dinheiro público para pagar a conta de mais uma armação. Tenho certeza que nossa secretaria de Governo e Integridade Pública, através do secretário Marcelo Calero, vai reaver esse dinheiro para os cofres públicos. Eles são fracos e corruptos. Usam o Estado e o cargo que têm para fraudar o processo político e difamar seus adversários“, afirmou Paes. “Eles não passarão. Vagabundos! Delinquentes!”, finalizou. O delegado foi preso em junho deste ano após operação do MPRJ, com oito mandados de prisão preventiva e os 19 de busca e apreensão expedidos pela Vara Criminal Especializada da Capital.


Fonte: Jovem Pan