Dossiê inicial sobre final da Liga dos Campeões aponta ‘falta de preparação’ dos organizadores

As primeiras conclusões da comissão de investigação do Senado da França sobre os problemas ocorridos antes da final da Liga dos Campeões, entre Real Madrid e Liverpool, foram divulgadas nesta quinta-feira, 16, com críticas à “falta de preparação” do dispositivo montado pelas autoridades do país. Depois de serem ouvidos os depoimentos de vários envolvidos com a organização de decisão, realizada em 28 de maio, no Stade de France, em Saint-Denis, os integrantes do grupo criticaram o governo nacional e a polícia. O presidente da Comissão de Cultura, Educação e Comunicação do Senado, Laurent Lafon, apontou para a “falta de preparação” das autoridades para a realização de um evento em grande escala, além da “falta de reação diante dos acontecimentos”. O parlamentar ainda destacou que as conclusões preliminares colocam o dedo em “uma gestão criticável” depois do evento, em referência às declarações do ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, que acusou torcedores ingleses pelo tumulto no entorno do estádio.

O integrante do governo liderado por Emmanuel Macron afirmou que o caos antes da partida teria sido causado por de 30 mil a 40 mil torcedores do Liverpool, que se aproximaram do Stade de France com ingressos falsos ou sem entradas. As primeiras conclusões – o relatório final será apresentado nas próximas semanas – ainda fazem críticas ao trabalho do Departamento de Polícia, por exemplo, pelo abuso de gás lacrimogêneo para tentar controlar a situação. Lafon lamentou “a ausência de diálogo entre as autoridades francesas e as espanholas e inglesas”. Antes da final vencida pelo Real Madrid por 1 a 0, milhares de torcedores, a maioria do Liverpool, teve dificuldades para entrar no estádio, devido as grandes filas formadas. A confusão atrasou o início do jogo em 36 minutos. Várias pessoas que aguardavam para acessar o estádio afirmaram terem sido vítima de roubos.

*Com informações da EFE


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe