Dólar fecha em leve alta, cotado a R$ 5,32; Ibovespa tem ligeira baixa

O dólar teve uma leve alta de 0,08% nesta segunda, 4, e chegou à cotação de R$ 5,32, a maior desde 28 de janeiro (R$ 5,39). O dia teve baixa liquidez, ou seja, um volume pequeno de negociações, devido ao feriado nos Estados Unidos. Assim, a volatilidade marcou o pregão, e a moeda norte-americana variou entre R$ 5,28 na mínima diária e R$ 5,33 na máxima. A razão para a manutenção do viés de alta é o temor fiscal no Brasil, com a ‘PEC das Bondades’, que irá conceder uma série de benefícios sociais a um custo estimado de R$ 41,25 bilhões, fora do teto de gastos, se aprovada na Câmara. Os investidores calculam que o risco do Brasil não honrar seus compromissos aumenta com o pacote e retiram dinheiro do país, enfraquecendo o real.

Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, caiu 0,35%, aos 98.608 pontos. Além do risco fiscal, que também afeta as ações, houve outra razão: a queda no valor do minério de ferro, devido a novas medidas de restrição na China contra a Covid-19. As limitações fazem com que a queda na demanda da commodity impacte empresas do setor – os papéis da Vale tiveram desvalorização de 0,57%, já que a perspectiva pagamento de dividendos se manteve inalterada e ajudou a evitar perdas maiores. As ações da Petrobras tiveram alta de 2%, puxadas pela valorização no preço internacional do petróleo, e impediram uma queda mais acentuada do Ibovespa.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe