Diretoria do Corinthians fala de caso Jô, admite preocupação com Luan e explica situação de Róger Guedes

Roberto de Andrade e Alessandro concederam entrevista coletiva no CT do Corinthians. Em conversa com a imprensa, os diretores do Alvinegro abriram o jogo sobre o caso envolvendo , atacante que rescindiu com o clube após uma série de polêmicas – a última envolvendo uma ida a um pagode durante o revés para o Cuiabá. De acordo com os mandatários, a situação do centroavante ficou insustentável. Perguntados sobre uma possível reposição, eles admitiram que vão buscar um novo camisa 9 – a informação já havia sido antecipada pelo jornalista Wanderley Nogueira, do Grupo Jovem Pan.

“A única conversa que tivemos com ele foi por telefone. Ontem, seus representantes vieram ao CT. Conversamos e mostramos que não tínhamos outra saída se não a rescisão do contrato. A rescisão depende muito mais do atleta do que do clube. Nessa conversa, mostramos que a situação ficou praticamente insustentável pela atitude dele perante ao grupo, torcida e todos. Então, em comum acordo, decidimos encerrar o contrato. Pagar o que devemos, e ele abriu mão do que tem para receber”, explicou Roberto de Andrade, diretor de futebol. “Com a saída do Jô a gente fica com uma opção a menos de centroavante. Temos que aguardar a janela, agora não tem muito o que fazer. A ideia é que reponha. A quantidade de jogos feitos por atletas de outros clubes do Brasil dificulta, a janela internacional também, então temos que aguardar de qualquer forma”, acrescentou.

Roberto de Andrade também admitiu que a diretoria corintiana está incomodada com a situação de Luan, jogador que recebe um dos salários mais altos do clube, mas que entrou em campo em apenas três jogos. Segundo o diretor de futebol, há clubes interessados no meia-atacante, que pode deixar o Parque São Jorge nas próximas semanas. “É algo que nos preocupa bastante também. Foi eleito o melhor atleta das Américas, sabemos do potencial dele, mas também não sabemos o que está acontecendo. Ele foi convocado para alguns jogos e, na véspera ou no dia, se colocou fora porque estava sentindo incômodos e dores. É uma situação delicada. O Corinthians tem contrato com o atleta, não é tão simples fazer a rescisão. O que estamos tentando fazer é, nessa próxima janela agora, conversar. Temos clubes interessados. Podemos conversar com o Luan e ver a necessidade dele, se ele não consegue jogar, tentar jogar em outro lugar”, reconheceu.

Na coletiva, Roberto de Andrade foi questionado sobre a situação de Róger Guedes, atacante que expôs sua insatisfação com o status de reserva no Alvinegro. Para o dirigente, a postura do jogador pode ser considerada normal no meio do futebol. “Insatisfação por não jogar faz parte de qualquer esporte. Mas quem escala é o treinador, e ele escala quem acha que está melhor. Eu quero deixar bem claro aqui. O Róger não traz um problema no nosso dia a dia, ele é uma excelente pessoa, chega no horário, antes, vai embora depois… O fato de estar insatisfeito por não jogar é normal. Quando escalado, ele se dedica, então são coisas que a gente administra”, analisou.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe