Déficit em conta corrente fica em US$ 2,76 bilhões em março, aponta BC

O Brasil registrou déficit em suas transações correntes de US$ 2,764 bilhões em março, informou nesta segunda, 25, o Banco Central (BC). O resultado é o melhor desde março de 2017, quando o número foi positivo em US$ 185 milhões. No mesmo mês de 2021, o saldo da conta corrente foi negativo em US$ 5,180 bilhões. No acumulado de 12 meses, a diferença entre o que o país gastou e o que recebeu nas transações internacionais relativas a comércio, rendas e transferências unilaterais tem saldo negativo de US$ 23,538 bilhões, o equivalente a 1,41% do PIB. O resultado de transações correntes, um dos principais do setor externo do País, é formado pela balança comercial (comércio de produtos entre o Brasil e outros países), pelos serviços (adquiridos por brasileiros no exterior) e pelas rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior).

Os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram US$ 7,6 bilhões em março. No mesmo período do ano passado, o montante havia sido de US$ 7 bilhões. O IDP engloba investimentos mais duradouros no País, como em uma nova fábrica ou ampliação da capacidade de uma instalação já existente no País. No mesmo período do ano passado, houve saída de US$ 2,610 bilhões. Em relação aos gastos de turistas brasileiros no exterior, o total foi de US$ 1,1 bilhão, enquanto os estrangeiros que estiveram no país gastaram US$ 453 milhões. As estatísticas estão defasadas devido à greve de servidores do BC, encerrada no início de julho, e ainda não há previsão de quando os dados relativos a abril, maio e junho serão publicados.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe