Conheça os principais sintomas de pressão alta e como controlá-los

A pressão alta é um dos problemas de saúde mais comuns atualmente. A doença, que pode atingir tanto adultos e idosos quanto criança e adolescentes, tem várias origens, desde fatores genéticos até ambientais.

Para evitar o problema, a principal medida a ser tomada é a adoção de um estilo de vida saudável. A longo prazo, a condição pode levar a problemas graves, como derrames e hemorragias no cérebro.

Afinal, quais são os principais sintomas de pressão alta?

A hipertensão pode acarretar muitos problemas de saúde. (Fonte: Shutterstock)Fonte:  Shutterstock 

Um dos grandes problemas é que a pressão alta se apresenta de forma silenciosa, na maioria dos casos. É comum que pacientes convivam por anos com hipertensão antes de descobrir o problema.

Por isso, manter olhos abertos para os sintomas citados abaixo é uma ótima maneira de antecipar o diagnóstico da doença que acomete mais de 700 milhões de pessoas. Confira:

1. Enjoo e tonturas

A pressão sanguínea é o resultado da circulação do sangue pelo corpo. Ela aumenta quando existem bloqueios nas veias e artérias que impedem a livre passagem do fluido.

O sangue é o responsável por transportar oxigênio e quando sua circulação é interrompida, podemos sofrer com falta de oxigenação. No cérebro, especialmente, isso leva à sensação de enjoos e tontura.

2. Dor de cabeça

Se a má oxigenação se mantém por muito tempo, o cérebro nos avisa do problema por meio de dores de cabeça. A complicação aparece quando esse sintoma é confundido com outras condições mais simples, como enxaquecas, e por isso é preciso estar atento.

3. Sonolência e confusão mental

Outra consequência da falta de oxigenação adequada no cérebro é a sonolência e desorientação. O órgão responsável pelos processos cognitivos precisa de moléculas de oxigênio para operar de maneira adequada, e na sua falta acaba provocando confusão mental.

A sonolência é um sintoma da pressão alta (Fonte: Shutterstock)A sonolência é um sintoma da pressão alta. (Fonte: Shutterstock)Fonte:  Shutterstock 

4. Zumbido no ouvido e alterações na visão

Não é apenas o cérebro que sofre com a falta de oxigenação adequada. Outros órgãos, como os ouvidos e os olhos, também podem ter suas funções prejudicadas pela falta da substância, levando a zumbidos e visão embaçada.

Vale a pena ficar atento aos olhos também. Como os vasos presentes nesse local são finos, eles acabam se rompendo devido à alta pressão sanguínea.

5. Sangramento nasal

No nariz os nossos vasos sanguíneos são frágeis, assim como nos olhos. Se a pressão estiver alta, pode levar a episódios de sangramento frequentes. Fique em alerta se esse sintoma persistir, está bem?

6. Dor no peito

Outro grande afetado pelo aumento da pressão arterial é o coração. Quando existem obstruções que impedem a livre passagem do fluido sanguíneo, o órgão tem que trabalhar em dobro para dar conta do bom funcionamento do sistema circulatório.

Por isso a hipertensão é um fator de risco para infartos. Os primeiros sinais do problema são dores no peito que indicam o esforço feito pelo órgão. Ela pode ser acompanhada por palidez, suor frio e sensação de desmaio.

7. Dificuldade para respirar

No caso da hipertensão pulmonar, o estreitamento dos vasos sanguíneos dos pulmões gera dificuldade para respirar. A sensação de falta de ar pode começar durante a realização de exercícios físicos e, com a piora do quadro, surge até mesmo em repouso.

Dificuldade para respirar é um sinal de hipertensão pulmonar (Fonte: Shutterstock)Dificuldade para respirar é um sinal de hipertensão pulmonar. (Fonte: Shutterstock)Fonte:  Shutterstock 

Ao identificar o sintoma, o paciente deve buscar um clínico geral para avaliar os riscos de hipertensão e iniciar o tratamento indicado pelo especialista. Além disso, nunca é tarde para começar a adotar medidas para evitar o problema.

O que fazer quando a pressão está alta?

Com o diagnóstico de pressão alta em mãos, o paciente deve adotar algumas medidas para evitar que o problema evolua. O primeiro passo é tomar a medicação da forma como for receitada pelo profissional.

Mas as mudanças de vida não param por aí. Os hábitos alimentares também devem ser reajustados, começando pela moderação no consumo do sal. Aumentar a ingestão de frutas, cereais e laticínios é outra maneira poderosa de combater a doença.

Como existe relação entre o tabagismo e o aumento da pressão sanguínea, quem fuma deve deixar o cigarro de lado. Outra causa comum da condição é o estresse, e por isso médicos são favoráveis a adoção de um ritmo mais tranquilo de vida.

As mesmas medidas de tratamento são recomendadas para quem deseja evitar o problema: melhorar a alimentação, praticar exercícios todos os dias, reduzir o consumo de sal e cortar os cigarros.

Por fim, qualquer pessoa deve estar atenta aos sinais da doença e, logo nos primeiros indícios, buscar um médico. Conhecer a própria pressão e tirar medidas regulares podem ajudar a diagnosticar e, mais que tudo, garantir uma vida longa e saudável.

E então, o que achou do conteúdo? Vale a pena compartilhar em suas redes sociais e alertar amigos e familiares, não é mesmo? Aproveite e fique por dentro desse e outros assuntos aqui no TecMundo!

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe