Cinetose: por que sentimos enjoo com movimentos?

Imagine uma viagem de carro por uma bela paisagem. Você está sentado no banco de trás e começa a olhar pela janela para admirar a vista. Mas conforme nota o entorno se movendo, suas mãos começam a suar, sua boca enche de saliva, você sente tontura. Isso pode ter acontecido também, enquanto você assistia a um filme com várias rotações de câmera e trocas repentinas de cenas. Se isso já aconteceu, você pode ter uma condição chamada cinetose, e vou te explicar o que é.

Antes de falar sobre a condição, vamos dar um panorama de como o nosso corpo sabe se estamos em movimento ou parados.

Estamos acostumados a pensar em cinco sentidos no corpo: tato, olfato, paladar, visão e audição. Mas o ouvido, por exemplo, não é responsável somente pelo ato de ouvir. Dentro dele temos o sistema vestibular, que é formado por estruturas que nos ajudam a saber se a nossa cabeça está na vertical, inclinada ou se estamos de cabeça para baixo. Quando nos movimentamos, esse sistema nos auxilia no equilíbrio, enviando informações sobre nossa posição.

Exercícios que promovam o desequilíbrio do corpo auxiliam no tratamento da cinetoseFonte:  Shutterstock 

Na cinetose, ou enjoo do movimento, o cérebro tem dificuldade em processar e unir as informações que recebe dos olhos, que vê imagens em movimento, e do sistema vestibular que indica que nosso corpo está parado. Devido às informações conflitantes, o cérebro dispara as sensações de mal-estar.

Apesar de incômoda, a condição pode ser amenizada com exercícios físicos. De acordo com José Carlos Farah, professor do Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo (USP), “é consenso entre médicos especialistas que exercícios repetitivos de reabilitação desse sistema, chamado de vestibular, promove um mecanismo de habituação […] o que acarreta na melhora”, explicou em entrevista à Rádio USP.

Outras formas de amenizar os sintomas é através de cuidados profiláticos, como: sentar no banco da frente em carros e ônibus, não ler durante locomoções, fechar a janela quando viajar de avião, e mesmo tentar se distrair com música.

Caso você apresente esses sinais e sintomas, é importante buscar orientação médica para que seja feito diagnóstico.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe