Cientistas criam primeiro transistor magneto-elétrico: confira os detalhes

Economizar energia é o desejo de milhares de pessoas pelo Brasil e no mundo. Além do impacto positivo para a natureza que esse olhar sustentável traz, os custos poderiam diminuir muito. Agora, uma invenção de cientistas pode ajudar nessa missão.

Desde que a energia elétrica passou a ser muito importante na nossa sociedade, os estudiosos pensam cada vez mais em formas melhores de transmissão. Então, é para essa função que o primeiro transistor magneto-elétrico foi criado.

Confira: Space Perspective revela interior da cápsula para ir à estratosfera: confira

Cientistas criam nova tecnologia

Nos Estados Unidos, na Universidade de Nebraska-Lincoln, pesquisadores deram o próximo passo para a evolução da energia. Com isso, será possível diminuir mais de 70% de aparelhos semicondutores, o que significa uma grande economia de custos.

De acordo com Charles Dowben, professor de física que participou do estudo, os novos transistores magneto-elétricos diminuirão em até 5% o consumo de energia no mundo. Eles vão poder estar em diversos aparelhos no futuro.

Cientistas criam primeiro transistor magneto-elétrico. Confira os detalhes / Fonte reprodução internet

Os transistores atuais são de silício e chegam a utilizar um pouco menos de 25 átomos do elemento. Portanto, seria necessário um novo meio de transmissão, no caso, os transistores magneto-elétricos, que funcionam de maneira diferente.

A nova tecnologia

Então, os transistores de silício funcionam através de um sistema binário, isto é, com indicações 0 ou 1. Isso acontece através da tensão do circuito, que conta com vários terminais. Já o novo transistor usa outra tecnologia.

Leia também: Primeiro eclipse solar do ano acontecerá em abril: Confira se vai ser possível ver do Brasil

Os elétrons, que são partículas de um átomo, têm formas magnéticas. Então, os cientistas podem entender qual o tipo de magnetismo de acordo com os ‘’spins’’, que podem estar para cima ou para baixo (como setas).

Portanto, conforme o sistema binário, é possível utilizar essas ferramentas de maneira bem melhor em relação aos de silício. Além disso, o mais interessante é que tudo é bem mais barato e ocupa menos espaço.

Viu só como os estudos estão crescendo nessa área? Ainda não se sabe ao certo como vão ser as tecnologias dos celulares e computadores do futuro, mas essa criação dos cientistas pode ajudar em diversos pontos.

Confira: Laser de rádio é detectado a 5 bilhões de anos-luz da Terra

Brasil recicla quase 100% das latinhas e bate recorde histórico
Brasil recicla quase 100% das latinhas e bate recorde histórico / Fonte reprodução internet

Veja a postagem de horigem em: Engenharia Hoje

Compartilhe