China vai usar remédio contra HIV para tratar covid-19

Nesta segunda-feira (25), a China anunciou a aprovação condicional do medicamento Azvudine para o tratamento de pacientes adultos de covid-19. Em julho de 2021, o país aprovou o mesmo medicamento para realizar o tratamento de pessoas infectadas pelo vírus HIV-1.

A Administração Nacional de Produtos Médicos da China fez a divulgação e afirmou que a farmacêutica chinesa Genuine Biotech será responsável pela produção do medicamento. Assim, o Azvudina é considerado o primeiro remédio para o tratamento de covid-19 fabricado diretamente na China.

Não é a primeira vez que a China permite o uso de remédios de administração via oral aos pacientes com covid-19 e, em fevereiro, também foi aprovado o medicamento Paxlovid da Pfizer — em 2020, a China aprovou o tratamento com cápsulas de Lianhuaqingwen, da medicina tradicional chinesa.

Segundo o jornal chinês Diário do Povo, a China está produzindo 10 remédios orais para o tratamento contra a COVID-19.Fonte:  Shutterstock 

Testes no Brasil

De acordo com informações do site South China Morning Post, alguns testes do Azvudina foram realizados na China, Brasil e Rússia desde abril de 2020. Os ensaios clínicos envolveram mais de 300 pessoas na fase 2 e cerca de 800 pessoas na fase 3.

Os resultados sugerem que a medicação pode reduzir o tempo de recuperação dos pacientes com sintomas leves e, segundo os dados, 40,4% dos pacientes que receberam Azvudina melhoraram após apenas sete dias.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial dos medicamentos Evusheld, Paxlovid e do Baricitinibe — esse último está sendo usado no tratamento de adultos hospitalizados com a doença e é oferecido pelo SUS.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe