Chile investiga buraco gigante que apareceu no deserto de Atacama

Autoridades chilenas investigam, desde a semana passada, um gigantesco buraco com diâmetro estimado em 32 metros e pelo menos 64 metros de profundidade que surgiu, no sábado (30 de julho), no solo do deserto de Atacama, no Chile. A cratera apareceu em um local onde a empresa canadense Lundin Mining opera uma mina de cobre.

A companhia divulgou um comunicado à imprensa na segunda-feira (1º), confirmando a detecção do sumidouro próximo às operações de Minera Ojos del Salado, e garantiu que, “após a detecção, a área foi imediatamente isolada e as autoridades reguladoras relevantes notificadas. Não houve impacto para pessoal, equipamentos ou infraestrutura.”

Após a detecção, especialistas em geomecânica da Subdireção Nacional de Mineração do Serviço Nacional de Geologia e Mineração (Sernageomin) inspecionaram o buraco, enquanto técnicos da Secretaria da Região Ministerial de Mineração da Região do Atacama foram até a comunidade de Tierra Amarilla, que fica a 600 metros do local, para assegurar que não houve qualquer tipo de dano aos habitantes.

Qual a origem do buraco gigante no Atacama?

De acordo com o Serviço Geológico dos EUA (USGS), embora possam estar associados a uma grande variedade de causas, os sumidouros são geralmente relacionados à dissolução de rochas subterrâneas. Esse fenômeno vai formando cavernas ou apenas espaços vazios que, de uma hora para outra, desmoronam, mesmo que a superfície pareça intacta.

Depois de determinar o fechamento de todos os acessos da mina até a obra localizada verticalmente ao túnel, os especialistas da agência chilena continuaram avaliando o sumidouro, cuja profundidade equivale a um prédio de 21 andares. Para segurança da comunidade, foi montado um perímetro de segurança ao redor do buraco.

Embora a origem do fenômeno permaneça desconhecida, o prefeito de Tierra Amarilla, Cristóbal Zúñiga, afirmou em seu perfil no Facebook que a cratera “ainda está ativa” e pode crescer em direção às casas do povoado. Ele prometeu apurar se o evento é causado ou não pela mineração.

Veja a postagem original em: TecMundo

Compartilhe