Presidente do PSDB, bruno Araújo, no evento em que João Doria renunciou ao governo de São Paulo: relações estremecidas| Foto: Divulgação/Governo de SP/Flickr

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, foi afastado da coordenação da pré-candidatura de João Doria a presidente da República após ser gravado em conversa privada com empresários de São Paulo, informa O Globo. No diálogo, Araújo teria relativizado a importância das prévias tucanas que escolheram Doria candidato e dito que não irá fazer força para que o nome único da aliança de terceira via que reúne MDB, União Brasil e PSDB seja um tucano.

“O contrato estabelecido é com essa coligação e é maior do que as prévias do PSDB”, afirmou Araújo, segundo trecho da conversa repassado ao Globo. “Nem João Doria pode ser candidato de si mesmo”. O ex-governador paulista teria se sentido traído ao ter acesso ao conteúdo da gravação, informa a reportagem.

A coordenação da pré-campanha de Doria foi assumida pelo presidente estadual do PSDB, Marco Vinholi, um dos aliados mais próximos do ex-governador. Uma ala do PSDB encabeçada pelo deputado Aécio Neves (MG) defende que o ex-governador gaúcho Eduardo Leite, que perdeu as prévias, seja o candidato tucano.