Construção civil é um dos 17 setores beneficiados com a prorrogação da desoneração da folha| Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro confirmou que sancionará nesta
sexta-feira (31) a lei que prorroga a desoneração da folha de pagamento dos 17
setores da economia que mais geram empregos no país até 2023. A desoneração da
folha – que permite às empresas substituir a contribuição previdenciária de 20%
sobre os salários dos empregados por uma alíquota sobre a receita bruta, entre 1%
a 4,5% – se encerraria no fim deste ano, mas houve forte pressão por parte de empresários,
e o Congresso estendeu a política até o final de 2023.

Em transmissão nas redes sociais na noite desta quinta-feira
(30), o presidente disse que a demora na sanção da lei, aprovada
no Senado em 9 de dezembro
, deve-se à necessidade de apresentar uma
compensação tributária para a medida. “Amanhã será sancionada a
desoneração da folha. A demora é porque tem que apresentar fontes alternativas
para recuperar o que vamos deixar de receber de 17 setores (…). Tive reunião
com vários setores no mês passado, foi apalavrado e estamos sancionando”,
disse Bolsonaro.

Os setores beneficiados com a desoneração são: calçados,
call center, comunicação, confecção/vestuário, construção civil, empresas de
construção e obras de infraestrutura, couro, fabricação de veículos e
carroçarias, máquinas e equipamentos, proteína animal, têxtil, tecnologia da
informação (TI), tecnologia de comunicação (TIC), projeto de circuitos
integrados, transporte metroferroviário de passageiros, transporte rodoviário
coletivo e transporte rodoviário de cargas. A estimativa, segundo cálculos de
entidades patronais, é de que esses setores empreguem seis milhões de pessoas.