Bolsonaro: “Exército não irá às ruas para manter vocês em casa”

Após a “motociata” realizada pelo presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores, na manhã deste domingo (23), pelas ruas do Rio de Janeiro, o chefe do Executivo realizou um discurso para uma multidão que o aguardava no Aterro do Flamengo, na Zona Sul da cidade, onde voltou a criticar prefeitos e governadores por conta de medidas restritivas.

Em sua fala, o líder afirmou que não permitirá que as Forças Armadas do país atuem para ajudar os governos locais a imporem medidas de restrição de circulação, como lockdown e toque de recolher, determinadas para conter a pandemia da Covid-19.

– O meu Exército jamais irá às ruas para manter vocês dentro de casa. Hoje vocês já sabem o que é uma democracia e uma tentativa de ditadura patrocinada por esses governadores – afirmou.

O chefe do Executivo esteve acompanhado durante o evento do filho e vereador do Rio, Carlos Bolsonaro (Republicanos), dos deputados federais Helio Lopes (PSL-RJ) e Marco Feliciano (Republicanos-SP) e dos ministros Augusto Heleno (GSI), Tarcísio Freitas (Infraestrutura) e Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil).

O ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, que depôs na semana passada por mais de 16 horas na CPI da Covid, também esteve presente no evento. No local, ele foi recebido com aplausos.

A “MOTOCIATA”
Bolsonaro participou na manhã deste domingo de um passeio com motociclistas no Rio, que saiu às 10h do Parque Olímpico da Barra da Tijuca e viajou por um percurso de 35 km até chegar à Zona Sul. O presidente Bolsonaro saiu na frente conduzindo o comboio.

Um pelotão presidencial foi montado à frente com ministros e pessoas próximas ao mandatário. Atrás, seguiu o grupo maior de apoiadores. Ao longo do percurso, simpatizantes se reuniram nas vias para cumprimentar e acenar ao presidente.

Mais de mil policiais militares foram deslocados de 4 batalhões para acompanhar o pelotão. Bolsonaro decolou para o Rio por volta das 7h. Após o pouso no Galeão, ele seguiu de helicóptero para o local de concentração. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acompanhou o trajeto para auxiliar na segurança do presidente.

Fonte: Pleno News