Bolsonaro anuncia compra de diesel mais barato da Rússia em até 60 dias

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que a relação que mantém com vários países do mundo, incluindo a Rússia, além de ter garantido fertilizantes no momento em que era importante a produção de alimentos no Brasil, vai ser importante também uma vez que o Brasil está negociando a compra de óleo diesel. Segundo o chefe do Executivo brasileiro, a expectativa é de que, em 60 dias, o Brasil possa receber o produto vindo da Rússia e é preciso procurar fornecedores que aceitem vender diesel por menor preço. “Estamos solucionando o problema. Zerei os impostos federais, os governadores, por força de lei, reduziram também o ICMS, na minha ida à Rússia, acertei fertilizantes para o agronegócio e, agora, está quase certo um acordo para comprarmos diesel bem mais barato da Rússia, onde a Petrobras e alguns já compraram mais caro”, disse Bolsonaro. Com relação ao preço do Petróleo no mercado internacional, o presidente ainda lembrou que a cotação está caindo e que, se os preços se mantiverem abaixo dos US$ 100, a expectativa é de uma redução também significativa pela Petrobras no produto destinado às refinarias.

Na última segunda-feira, Bolsonaro recebeu no Palácio do Planalto a presidente da Hungria, Katalin Novák. Segundo o presidente, os países devem incrementar as relações bilaterais. A promessa é de um forte intercâmbio, levando em consideração que a Hungria é um importante parceiro comercial. Bolsonaro agradeceu o fato do país ter trabalhado pela manutenção do acordo entre Mercosul e a União Europeia. Além da questão comercial, Bolsonaro falou que os dois países estão discutindo também acordos na área da defesa. No Brasil, vivem cerca de 100 mil húngaros e descendentes. Outro assunto debatido com Katalin Novák foi a guerra entre Rússia e Ucrânia. O presidente Bolsonaro disse que no próximo dia 18 já tem agendado um telefone com o presidente da Urânia, Volodymyr Zelensky, para falar sobre o conflito que se estende com a Rússia. O chefe do Executivo brasileiro fez recentemente uma visita oficial à Rússia e, agora, pretende também se reaproximar dos ucranianos. Ele disse que existe uma forte comunidade ucraniana no interior do sul do Brasil, entre Paraná e São Paulo, e que a expectativa dele é de que seja agendada uma visita ao país do Leste Europeu.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin 


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe