Boca Juniors pede para torcida não cometer racismo contra o Corinthians e alerta para novas punições

O Boca Juniors pediu para que seus torcedores não cometam atos racistas diante do Corinthians, no jogo marcado para começar às 21h30 (de Brasília) desta terça-feira, 5, na La Bombonera, válido pela rodada de volta das oitavas de final da Libertadores da América – em São Paulo, os rivais empataram sem gols. Em comunicado, o clube argentino diz que não compactua com gestos discriminatórios e alertou para possíveis novas punições da Conmebol. Vale lembrar que foram registrados episódios de injúria racial nas três partidas entre as equipes nesta temporada.

“Este novo jogo contra um time do Brasil representa mais uma oportunidade para rejeitar qualquer ato xenófobo que viole os direitos de qualquer grupo e demonstrar o aprendizado com as experiências recentes, que prejudicam não apenas a imagem do clube, mas também a economia. Vale lembrar mais uma vez que a Conmebol apertou severamente as multas para os clubes participantes em casos de atos de racismo e a repetição desses comportamentos pode não só levar a maiores penalidades econômicas, mas também ao fechamento do estádio”, diz um trecho da nota do Boca Juniors, que foi punido em 100 mil dólares (cerca de R$ 520 mil) por atos racistas de torcedores xeneizes contra corintianos.

No marco da revanche contra o Corinthians do Brasil pelas oitavas de final da Copa Libertadores, o Boca Juniors mais uma vez convida os torcedores a refletirem sobre a partida desta terça-feira na Bombonera com paixão, mas longe de todo tipo de manifestação racista.

Este novo jogo contra um time do Brasil representa mais uma oportunidade para rejeitar qualquer ato xenófobo que viole os direitos de qualquer grupo e demonstrar o aprendizado com as experiências recentes, que prejudicam não apenas a imagem do clube, mas também a economia. Boca, vale dizer mais uma vez, não discrimina.

Vale lembrar mais uma vez que a Conmebol apertou severamente as multas para os clubes participantes em casos de atos de racismo e a repetição desses comportamentos pode não só levar a maiores penalidades econômicas, mas também ao fechamento do estádio. Assim como por parte do clube, esse tipo de comportamento implica em uma ação grave que pode estar sujeita às mais severas sanções previstas no estatuto, como a expulsão na condição de sócio.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe