Atirador que matou dez pessoas em Buffalo é acusado de terrorismo doméstico

O atirador que matou dez pessoas em um massacre em Buffalo, estado de Nova York, nos Estados Unidos, em maio deste ano, foi acusado pela Justiça norte-americano de 25 crimes, entre eles, terrorismo doméstico e crime de ódio, de acordo com informações do jornal The New York Times. Com 18 anos de idade, Payton Gendron realizou um ataque armado em um bairro predominantemente negro e foi preso logo após o ocorrido. Uma das linhas de investigação é de que o crime foi realizado por motivos raciais. Do total, 13 pessoas foram atingidas sendo 11 negras e duas brancas. As acusações passam por assassinato em primeiro e segundo grau, posse de armas, três tentativas de homicídio. Desde 2020, o crime de terrorismo doméstico é passivo de prisão perpétua.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe