Ataque contra estação de trem matou 4 crianças em Kramatorsk, diz prefeito

Crianças ucranianas que perderam seus pais na guerra embarcam em uma estação em Zaporizhzhia| Foto: EFE/EPA/ROMAN PILIPEY

Um ataque contra a estação de trem de Kramatorsk, na
Ucrânia, matou quatro crianças, nesta sexta-feira (8). A informação foi
divulgada pelo prefeito da cidade, Alexander Goncharenko, através do Twitter. O
líder político local indicou que pelo menos 40 pessoas morreram e há registro
de 90 feridos, alguns “muito graves”, assim como vítimas que perderam
braços ou pernas.

Nos últimos dias, as autoridades do Donbass fizeram apelos
para que os civis abandonassem a região, alertando para uma grande ofensiva
russa. O governador de Donetsk, Pavlo Kirilenko, em postagem na mesma rede
social, destacou que o ataque foi feito contra um ponto de concentração
“conhecido” como lugar utilizado para facilitar a evacuação da
população local.

O assessor da chefia de gabinete da presidência da Ucrânia,
Oleksiy Arestovych, garantiu que antes do bombardeio, houve uma operação de
observação da região. “As tropas russas atacaram com um míssil do tipo
Iskander a estação de trens de Kramatorsk. É preciso entender que ataques deste
tipo são precedidos de um reconhecimento minucioso do alvo”, escreveu no
Facebook, segundo a agência de notícias Ukrinform.

De acordo com o porta-voz os russos sabiam “perfeitamente
que estavam atingindo civis, na primeira hora da manhã, no momento em que havia
milhares de pessoas tentando sair. Famílias, crianças, idosos”.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, garantiu nesta
sexta-feira que o ataque contra uma estação de trem é a prova de que a Rússia
“extermina” a população civil. “Este é um mal que não tem
limites. E se não for punido, nunca deixará de acontecer”, lamentou o
chefe de Estado, em postagem no Facebook.

A Rússia, por sua vez, negou qualquer responsabilidade pelo ataque, indicando que não foi realizada operação ofensiva em Kramatorsk, de acordo com comunicado do Ministério da Defesa do país.

Fonte: Gazeta do Povo
Podcast O Papo É com Guilherme Fiuza e Rodrigo Constantino – Gazeta do Povo

Compartilhe