Após polêmicas, empresário do Luva de Pedreiro nega fim de agenciamento do influenciador

Allan Jesus, CEO da empresa de marketing ASJ e empresário do Luva de Pedreiro, escreveu um comunicado na noite da última quarta-feira, 22, negando ter quebrado o contrato com o influenciador digital. Em nota, o agente se posicionou e afirmou que tem vínculo com o garoto, chamado Iran Ferreira, até 2026, mas não explicou o fato da estrela das redes sociais não ter “praticamente nada” em suas contas bancárias – a informação veio à tona na coluna do jornalista Léo Dias. “É com absoluta perplexidade e profundo lamento que a ASJ, empresa com vasta expertise no segmento de marketing esportivo, recebe algumas notícias publicadas na imprensa – que infelizmente destacam informações levianas, apuradas de forma seletiva, sem compromisso algum com a verdade dos fatos”, disparou.

Segundo a publicação, Luva de Pedreiro teria fechado com uma nova equipe de agenciamento após ter ciência de que seu empresário, Allan Jesus, não estava repassando o dinheiro oriundo das publicidades. O empresário, no entanto, nega o fim do relacionamento com o influenciador. “ASJ e Luva de Pedreiro, com uma trajetória de sucesso até aqui, possuem contrato com vigência até o ano de 2026. Se algumas das partes desejar efetivamente rescindir o contrato vigente, além de respeitar a forma acordada para tanto, deverá comunicar a outra oficialmente de sua decisão. Até o presente momento, a ASJ não recebeu qualquer comunicação formal e/ou notificação a respeito de eventual tentativa de rescisão do Luva de Pedreiro. A única coisa que temos são indícios espalhados pela internet e notícias que dariam conta de um suposto novo agenciamento, o que em tese poderia configurar quebra de exclusividade”, completou.

Segundo a matéria de Léo Dias, Iran recebeu R$ 1 milhão apenas do contrato com a Amazon Prime Video para divulgação do cardápio de eventos esportivos. Isso sem contar que já havia recebido R$ 300 mil em contrato de exclusividade com outra empresa não revelada. Apesar disso, as duas contas do jovem tiveram um giro de R$ 7.500 no decorrer de 2022 – o problema fez com que o influenciador interrompesse a produção de vídeos e excluísse as publicações com o agente nas redes sociais. Sobre o tema, Allan declarou que irá demonstrar a “regularidade de seus atos”. “De qualquer modo, instado a se manifestar ou demonstrar a regularidade de seus atos, a ASJ o fará com muita tranquilidade, abrindo a quem de direito todos os contratos, documentos, extratos e o que mais for necessário. Por fim, manifestamos nossa certeza e convicção de que a verdade, como sempre, prevalecerá. Cordialmente, Allan Jesus, CEO da ASJ”, finalizou.


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe