Apoio à redução da maioridade penal eleva chance de votos no Brasil, diz pesquisa

O apoio à redução da maioridade penal para 16 anos no Brasil eleva a chance de voto nos candidatos à Presidência da República, segundo pesquisa BTG/FSB divulgada nesta sexta-feira, 30. Pelo menos 61% dos entrevistados afirmaram que a possibilidade de escolha aumenta se o postulante defender o tema. Programas sociais de distribuição de renda e a revogação da reforma trabalhista também são assuntos de interesse da maioria dos eleitores, 61% e 41%, respectivamente. Segundo o levantamento, 45% perdem interesse em um candidato se ele defender o porte de armas, e 54% não querem votar em presidenciáveis que apoiem a legalização do aborto. O apoio à união de pessoas do mesmo sexo não importa para 48% dos eleitores.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a pesquisa com 46% das intenções de voto. O levantamento também mostra que a vontade de votar no petista aumenta para 52% se ele for favorável à redução da maioridade penal, programas sociais (68%), e revogação da reforma trabalhista (49%). Entre os eleitores simpáticos ao presidente Jair Bolsonaro (PL), que disputa a reeleição, 74% dizem que o interesse aumenta com a defesa da redução da maioridade penal. As chances de voto no atual chefe do Executivo também crescem com o apoio a programas sociais (51%), porte de armas (52%), e privatizações (48%). O tema que menos eleva o interesse por ambos os candidatos é a defesa da legalização do aborto. Apenas 9% dos entrevistados consideraram que o assunto aumenta a chance de voto em Lula e Bolsonaro. A pesquisa BTG/FSB entrevistou 2 mil eleitores entre os dias 27 e 29 de maio de 2022. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o intervalo de confiança é de 95%.

 


Fonte: Jovem Pan

Compartilhe