Anvisa libera Coronavac para crianças e adolescentes.| Foto: Gilson Abreu/AEN

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quinta-feira (20) o uso emergencial da vacina Coronavac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos de idade. A agência vetou o uso do imunizante em imunossuprimidos, pessoas com baixa imunidade.

A vacina pediátrica será a mesma já utilizada em adultos e a imunização será feita em duas doses aplicadas em intervalo de 28 dias. A aplicação foi liberada para pessoas com comorbidades.

Em dezembro, o Instituto Butantan fez o segundo pedido de liberação à agência. O primeiro havia sido rejeitado em agosto por falta de documentação. A solicitação do instituto previa a aplicação do imunizante em crianças a partir de 3 anos. No entanto, a diretoria da Anvisa liberou o uso na faixa etária de 6 a 17 anos, e recomendou o veto a imunossuprimidos.

O Butantan tem 15 milhões de doses do imunizante prontas e disponíveis para iniciar a imunização. Desse total, o governo reservou 12 milhões para aplicar em crianças assim que a autorização fosse concedida.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que o estado começará a vacinar crianças com a Coronavac minutos após receber autorização da Anvisa. “São Paulo, tendo a aprovação da vacina do Butantan pela Anvisa amanhã, e nós respeitamos plenamente a decisão que for emitida pela Anvisa, mas se ela for positiva, nós iniciaremos imediatamente, 15 minutos depois da aprovação da Anvisa, iniciaremos a vacinação aqui em São Paulo”, disse Doria na tarde de quarta-feira (19).

A Coronavac é produzida pelo Butantan em conjunto com a farmacêutica chinesa Sinovac e já é usada em crianças de 3 a 11 anos na China, Hong Kong, Chile, Equador, Indonésia e Camboja.