Açúcar dentro dos oceanos? Confira a descoberta dos cientistas

Sem dúvida, a natureza é cheia de surpresas, por isso hoje traremos uma curiosidade. Você sabia que nos oceanos contém açúcar? Isso mesmo, parece improvável, mas essa recente descoberta nos mostra que, de fato, ainda sabemos pouco sobre nosso planeta.

Quer saber mais sobre o açúcar no fundo do mar? Então, continue ligado no conteúdo. Com certeza, você ficará surpreso com o que os cientistas do Instituto Max Planck, Alemanha, encontraram. Vamos nessa?

Confira: Vagas de emprego no Mercado Livre: confira as 4 mil vagas para 2022

Açúcar nos oceanos? Saiba mais!

Sim, açúcar nos oceanos, essa é a mais recente descoberta dos cientistas. Segundo os cientistas de microbiologia marinha a quantidade de açúcar é equivalente a 32 bilhões de latas de Coca-Cola. De fato, essa informação é no mínimo inusitada, não é?

Isso porque, os mares são famosos por suas águas salinizadas, então, o que gerou esse depósito doce? Os cientistas do Max Planck, disseram que as algas marinhas são as responsáveis pelo vasto depósito de açúcar no mar.

Essas algas se encontram em um ambiente chamado rizosfera. Nele as algas se encontram espalhadas no solo do oceano, e mais, elas estão por toda a parte, ou seja, em todo o mundo. 

Eles afirmam ainda que essas algas podem liberar cerca de 1,3 milhões de toneladas de sacarose. Sem dúvida é muito açúcar, mas o que isso pode ocasionar? Veja a seguir!

Sacarose nos mares pode contribuir para alteração climática. Entenda!

Infelizmente, essa notícia é alarmante, pois essa quantidade de açúcar pode prejudicar a qualidade dos mares. De acordo com eles, a quantidade de sacarose liberada pelas folhas das algas podem alterar o armazenamento de carbono, promovendo a alteração do clima.

Leia também: a nova função para ocultar os seus dados no Google

Os cientistas explicaram que as algas produzem sacarose durante o processo de fotossíntese. De acordo com eles, quando a condição do oceano é de meia luz, essas ervas conseguem utilizar a maioria desse açúcar em seu próprio metabolismo. 

Contudo, sob luz intensa essas plantas produzem ainda mais açúcares, então, não conseguem consumir sua totalidade ou armazenar. A preocupação é: esse excedente de açúcar vai para o solo e os micróbios não conseguem consumir a sacarose dessas plantas.

A princípio, os microrganismos circundantes deveriam poder absorver esse açúcar. No entanto, foi descoberto que as algas excretam um componente chamado fenólico que impossibilita que a maioria dos micróbios o ingira.

Mas, não se desespere, pois, ainda há esperança! Após diversos testes foi descoberto um pequeno grupo de microrganismos que conseguem ingerir a sacarose. Boa notícia, não é? Uffa! 

A hipótese dos cientistas do Max Planck é que esses organismos estejam dando algo em troca a essas plantas (nutrientes), desse modo, estão propiciando o seu crescimento. Em outras palavras, uma troca saudável, os organismos se alimentam do açúcar e as algas crescem.

Confira: Petrobras bate recorde, e constrói poço offshore de águas profundas na Bacia de Campos

Veja a postagem de horigem em: Engenharia Hoje

Compartilhe